Posted on jul 29, 2014 in Policial

Licenças médicas afastam 700 PMs

Policial Magnus nascimento

Setecentos policiais militares estão afastados de suas atividades devido a problemas de saúde. O montante corresponde a quase 8% do efetivo total. Parte dos PMs foi remanejado para serviços burocráticos ou administrativos da corporação. A maioria, no entanto, está desocupada. Entre as enfermidades responsáveis pela retirada dos policiais das ruas, destacam-se as doenças psiquiátricas que são as causas de 45% das licenças médicas.  Há duas formas para o policial deixar suas funções ordinárias. Dependendo do diagnóstico médico, o PM é afastado completamente do trabalho ou assume outra função dentro do Comando. Atualmente, existem 399 policiais na primeira condição e mais 301 homens na segunda. Os dados foram revelados pelo Centro de Atenção Básica à Saúde da Polícia Militar do Rio Grande do Norte (PM-RN) e foram atualizados ontem, dia 28, um dia após um soldado atear fogo em três motocicletas, atentar contra a própria vida e ser internado em um hospital psiquiátrico de Natal. Os números revelam ainda que as doenças psiquiátricas respondem pela maior demanda no setor. São 318 policiais que, hoje, enfrentam algum transtorno psíquico e, por isso, deixaram as ruas. Há outro dado preocupante nas estatísticas da PM-RN. Nos últimos sete meses, foram diagnósticos 73 novos casos de doenças psiquiátricas na corporação. Em dezembro de 2013, eram  245 policiais doentes. A evolução resulta em uma média de 10 novos casos por mês.

De acordo com o diretor de Saúde da PM-RN, médico e coronel Silvério Monte, há três fatores que explicam a evolução do quadro: policiais com histórico de doenças antes de ingressar na corporação, a própria natureza da atividade policial e a falta de efetivo que possibilitaria um rodízio entre os praças. “Temos policiais que são inaptos para a atividade e estão em atividade. É um risco”, alertou.

O coronel explicou que alguns policiais, no ato de ingresso na corporação, são reprovados nos exames médicos. “A maior parte é reprovada nos testes psicológicos e psiquiátricos”, disse. Mesmo com a reprovação, os então candidatos conseguiram decisões judiciais que obrigam o Comando da Polícia a efetivá-los. “Ou seja, o policial já ingressa com problemas que podem vir à tona a qualquer momento”, completou. O coronel não soube mensurar quantos policiais que apresentaram restrições durante os testes de ingresso estão na ativa.

A atividade policial é estressante por natureza. Combater o crime, andar armado, sofrer pressão da sociedade e enfrentar problemas estruturais resultam em problemas emocionais. “É o mesmo que estar em uma guerra todos os dias. O risco é muito alto e é preciso um equilíbrio entre mente e corpo”, ponderou coronel Monte.

Para encontrar esse “equilíbrio”, a ajuda do profissional médico é indispensável. Psicólogos e psiquiatras podem ajudar. No entanto, a PM-RN conta apenas com um psicólogo e um psiquiatra. Este, aliás, está afastado do serviço por problemas de saúde. Há 13 anos não há concurso para recomposição do quadro da equipe de saúde da Polícia Militar.

O ideal, segundo o coronel, seria que a PM-RN contasse com pelo menos 3 psiquiatras e 15 psicólogos. A falta de efetivo atrapalha e inviabiliza uma solução para o terceiro fator apontado como causa para o afastamento dos policiais do serviço. “Se tivéssemos um efetivo maior, poderíamos fazer um rodízio nas equipes. Dar folgas para os policiais que vivenciaram algum episódio traumático”, explicou Silvério Monte.

 

Roberto Lucena

Anúncio_Kalango

 

Leia Mais

Posted on jul 28, 2014 in Policial

RN ultrapassa mil assassinatos em 2014 e já tem o ano mais violento de todos os tempos

numero-de-assassinatos em natal

Com quase 1.050 assassinatos registrados este ano no Rio Grande do Norte, a população potiguar vive um dos períodos mais violentos de todos os tempos, onde pessoas são assassinadas de forma explícita ou misteriosamente, desafiando as autoridades legalmente constituídas que pouco tem feito para mudar a situação e proporcionar segurança à sociedade. Dados de uma pesquisa repassada ao Governo do Estado por Ivênio Hermes, especialista em Políticas e Gestão em Segurança Pública e pesquisador nas áreas de Criminologia, Direitos Humanos, Direito e Ensino Policial, mostram que dessas mil mortes intencionais, 85% foram vítimas de arma de fogo, 8,3% de arma branca, 1,4% de algum tipo de ação contundente, que são objetos capazes de agir traumaticamente sobre o corpo humano como pedra, pau, barra de ferro e taco de basebol. Já em 2,2% dos casos as vítimas sofreram espancamento e na mesma proporção foram utilizados métodos diferenciados para causar a morte. Em apenas 0,3% dos casos não houve qualquer meio de identificação do gênero da vítima, no restante, 93,1% dos homicídios foram contra homens e 6,6% contra mulheres.
Conforme a pesquisa, os municípios potiguares considerados mais violentos, com incidência de criminalidade preocupante, são: Natal com 337 assassinatos; Mossoró com 100 mortes intencionais; Parnamirim com 84; São Gonçalo do Amarante com 46; Macaíba com 34 e; Ceará-Mirim e São José de Mipibu com 32 homicídios.
As estatísticas vão mais além e mostram que no Agreste potiguar, 7% de jovens menores de 29 anos de idade perderam a vida; na Central, foram 5%; no Oeste do Estado, 25%, e 63% dos jovens foram assassinados na região metropolitana de Natal.

 

Delegado diz que exemplo da Dehom de Mossoró deve ser seguido em todo o Estado

 

Em entrevista ao jornal O Mossoroense, o delegado-geral da Polícia Civil, Adson Kepler, disse que a criminalidade no RN tem avançado em algumas regiões, porém o trabalho de investigação que tem se desenvolvido na Delegacia Especializada em Homicídios (Dehom) de Mossoró tem elucidado muitos homicídios de forma rápida e com isso tem feito cair os números de assassinatos na cidade de Mossoró.
“O trabalho que vem sendo desenvolvido pela Dehom de Mossoró é bastante positivo, superando a média nacional na elucidação das mortes. Com uma média de mais de 40% na solução das mortes, a Dehom de Mossoró supera a média nacional que é de pouco mais de oito por cento e isso tem que ser seguido no restante do Estado”, explicou o delegado.
Para Adson Kepler, a solução seria a criação da Divisão de Homicídios, com equipes prontas para atuar desde o local do crime até a conclusão do inquérito policial. “Como isso não é possível no momento, devido o limite prudencial do Estado, vamos dar suporte às DPs, tanto na capital como no interior, com a criação do plantão investigativo, onde equipes da Polícia Civil vão estar de plantão para comparecer ao local do crime”, destacou.
Segundo o comandante-geral da Polícia Civil, o local do crime é o lugar crucial para a elucidação do homicídio. “Tendo uma equipe que compareça ao local do crime, chegar a autoria do delito vai ser bem mais fácil e essa equipe de plantão vai auxiliar, desde o colhimento de informações, quanto as oitivas das testemunhas, que vão poder depor momentos após as mortes”, concluiu.
As equipes de locais de crimes, da Polícia Civil, deverão começar a funcionar já a partir do próximo mês.

 

Mossoró é responsável por 10% dos assassinatos ocorridos este ano no RN

 

Das mil mortes ocorridas este ano no RN, 100 delas foram registradas no município de Mossoró, representando assim 10% dos crimes ocorridos no Estado, conforme pesquisa entregue ao Governo, pelo especialista em segurança Ivênio Hermes. Os dados revelam ainda, que na região Oeste do Rio Grande do Norte, 134 pessoas foram mortas intencionalmente e que Mossoró sozinho registrou 74,6% dos crimes no Oeste.
Uma das últimas mortes violentas provocadas por tiro, ocorrida em Mossoró, que engrossa as estatísticas, ocorreu na última quinta-feira, quando um elemento morreu em confronto com a Polícia Militar, após moradores denunciarem uma suposta venda de droga na comunidade do sítio Hipólito II, às margens da BR-304, saída para Natal. Ícaro Luiz Dantas de Freitas, 23, que residia no bairro Santo Antônio, atirou contra os militares que revidaram e o atingiram com vários tiros. Ele ainda chegou a ser levado ao Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM), mas já chegou morto.
Por volta das 10h, homens da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicleta (Rocam) receberam informações que Ícaro Luiz estaria armado de revólver e vendendo drogas nas ruas da comunidade. Ao se deslocar ao ponto da denúncia, a Rocam localizou o acusado em uma residência. Quando os policiais se aproximaram foram recebidos à bala, tendo início o tiroteio. No revide, Ícaro Luiz foi atingido por alguns tiros e morreu. Ícaro Luiz era investigado em diversos assaltos, inclusive ao dos Correios da cidade de Paraú, onde um criminoso e o vigilante morreram.
Para o delegado Denys Carvalho da Ponte, titular da Delegacia Regional de Polícia Civil, o número de crimes ocorridos em Mossoró é um reflexo do que vem acontecendo em todo o Estado, principalmente nas cidades de médio e grande portes. “Vários fatores são atribuídos ao alto teor da violência, dentre eles a facilidade em que os criminosos têm em conseguir armas, mesmo com a polícia combatendo e tirando de circulação meliantes armados, diariamente”, concluiu.

Starconect

 

Leia Mais

Posted on jul 25, 2014 in Policial

Assaltantes explodem agência bancária em Alto do Rodrigues

A explosão de agências bancárias em cidades pequenas tornou-se um crime comum no Rio Grande do Norte. Na madrugada de hoje (25), a agência do Bradesco de Alto do Rodrigues, foi alvo da ação de bandidos. Na quinta-feira (24) o mesmo crime foi registrado na cidade de Maxaranguape.

De acordo com informações da Polícia Militar, a explosão foi registrada por volta das 3h. Os criminosos teriam usado dinamite para detonar os caixas eletrônicos. Com o impacto da explosão, o prédio ficou destruído e as vidraças de algumas lojas vizinhas foram destruídas.

No dia anterior, um carro forte havia abastecido a agência,  várias cédulas queimadas, ficaram espalhadas pelo chão. Há informações de que os assaltantes estavam encapuzados e portavam armas de grosso calibre.

nobrega

Leia Mais

Posted on jul 15, 2014 in Policial

Policiais Civis do RN decidem não mais conduzir viaturas consideradas em condições ilegais

Em assembleia realizada na noite dessa segunda-feira (14), os policiais civis do Rio Grande do Norte decidiram que, a partir desta terça (15), não vão mais conduzir viaturas em condições ilegais. A informação é do site do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública.

Segundo o Sinpol, os agentes que não possuírem curso de formação específico para condução de veículos de emergência não poderão guiar as viaturas. Além disso, os carros que estejam com documentação atrasada serão entregues à Degepol.

As ações fazem parte da “Operação Polícia Legal”, que já vinha sendo aplicada em várias delegacias, mas, de acordo com o Sindicato, agora será adotada de maneira mais efetiva e integrada entre as unidades.

Durante a assembleia com a categoria, a diretoria do Sinpol lembrou que, desde meados de junho, já havia enviado ofício para a Degepol solicitando que fosse providenciada regularização imediata das habilitações dos policiais que dirigem viaturas. No entanto, até o momento, nada teria sido feito.

Nesse ofício, o Sindicato lembra que, segundo o Código Brasileiro de Trânsito, em seu artigo 145, os condutores de veículos de emergência necessitam estar habilitados nas categorias D e E, além de serem aprovados em curso especializado e em treinamento de prática veicular em situação de risco.

“Como a Polícia Civil, representante da legalidade, vai servir de exemplo se está atuando dentro da ilegalidade?”, contesta Djair Oliveira, presidente do SINPOL-RN. Além da falta de habilitação específica, ele cita que muitas viaturas estão com documentação atrasada. Além de ofício para a Degepol, ainda em junho, o Sindicato havia informado sobre essa situação à Sesed e ao Ministério Público.

Também na assembleia geral realizada na noite desta segunda-feira, chefes de investigação de várias delegacias, como Deicor e Hehom, por exemplo, estiveram presentes e confirmaram que as viaturas dessas unidades não estão circulando mais na ilegalidade.

Polícia Legal

A cartilha da Polícia Legal tem 15 itens (clique aqui para ler) e será ampliada após entendimento entre a Diretoria do SINPOL-RN e os chefes de investigação e cartórios, que se reuniram na tarde desta segunda-feira.

A cartilha da Polícia Legal estabelece ainda, por exemplo, que os agentes e escrivães só realizem procedimentos como diligências e elaboração de flagrantes e depoimentos com a presença de um delegado.

Outro ponto da cartilha é que o policial somente deve ir para qualquer missão estando devidamente equipado com colete, armamento e munições em perfeito estado e dentro da validade. Além disso, os policiais não podem usar nenhum tipo de material de sua propriedade, como computador ou celular, para realizar seu trabalho nas delegacias.

Starconect

Leia Mais

Posted on jul 14, 2014 in Policial

Tentativa de fuga no Complexo Penal Mário Negócio termina com preso morto

Preso morto Foto-Cacau

Tentativa de fuga registrada na manhã de hoje, 14, no Complexo Penal Estadual Agrícola Mário Negócio (CPEAMN), resultou na morte do presidiário Ildenismar Lopes de Araújo. Ele, juntamente com outros sete apenados, receberia atendimento odontológico fora da cadeia, quando aproveitou a oportunidade para tentar se evadir do local. Dos oito apenados, três não conseguiram êxito na fuga, iniciada após o grupo danificar as grades da cela onde esperavam para serem levados até o Centro de Odontologia. Um policial chegou a ser baleado durante a fuga. Os cinco presos restantes seguirem em direção ao matagal próximo ao Complexo Penal Mário Negócio, sendo Ildenismar Lopes de Araújo atingido por disparos efetuados pelos agentes. Continuam foragidos Rosemiro Alves de Oliveira Júnior, José de Anchieta Fernandes, José Fagner Tibúrcio e Jesus Alison Cavalcante.

Anúncio_Kalango

 

Leia Mais

Posted on jul 2, 2014 in Policial

Jornalista argentina morre em acidente na BR-381

carro batido  - imagem divulgação

A jornalista argentina Maria Soledad Fernández, de 26 anos, que estava no Brasil acompanhando a atuação da seleção de seu País na Copa do Mundo, morreu na madrugada desta quarta-feira, 2, em um acidente na BR-381, que liga São Paulo a Belo Horizonte. O carro em que ela estava capotou e caiu em uma ribanceira próximo a Oliveira, na região centro-oeste de Minas. Além da morte de Maria Soledad, o acidente deixou feridos o motorista Fernando Javier Bruno, de 41, e Juan Daniel Berazagueti, de 43. O trio voltava de São Paulo, onde a Argentina conquistou vaga para as quartas de final da Copa ao derrotar a Suíça por 1 a 0 no Itaquerão, para a capital mineira. A seleção do país vizinho está baseada no Centro de Treinamento do Atlético-MG, em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte.

PUBLICIDADE KALANGO JUNHO

 

Leia Mais