All posts under: Policial

WhatsApp-Image-2017-02-09-at-02.16.44

A madrugada desta quinta-feira, 09, foi de terror para os moradores de Florânia/RN. Bandidos fortemente armados invadiram a Cidade, por volta de 01h30 min., e arrombaram a Agência do Banco do Brasil local. Informações preliminares dão conta de que o cofre da Agência foi roubado.

De acordo com as primeiras informações chegadas ao nosso Blog, parte do bando cercou o Destacamento da Polícia Militar local e efetuou diversos disparos de armas de vários calibres, inclusive fuzil e metralhadora, para evitar qualquer reação dos Policiais de Serviço. Enquanto isso, a outra parte da quadrilha fazia o roubo à Agência bancária. A frequência que esses delitos vem acontecendo é motivo de medo de todas as cidades da região, inclusive Currais Novos. Os bandidos estão fechando o cerco, perdendo o medo da polícia e ficando a cada dia mais perigo, inclusive frequentar caixas eletrônicos, principalmente a noite. A ousadia dos bandidos está a cada dia mais significante.

divulgaçao

Transferência-Presos-5-2Cinco presos integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC), e que são apontados como líderes da rebelião que aconteceu na Penitenciária de Alcaçuz ocorrida no dia 14 de janeiro, foram transferidos da Central de Flagrantes da Polícia Civil para uma Penitenciária Federal, na manhã desta terça-feira (31). O trabalho de transferência foi realizado por agentes penitenciários, policiais militares e policiais civis. Participaram da ação integrantes do Grupo de Escolta Penal (GEP), Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Batalhão de Polícia de Choque, Ronda Ostensiva Com Apoio de Motocicletas (ROCAM) e Comando de Polícia Rodoviária Estadual (CPRE).

Os presos transferidos são Cláudio Candido do Prado, 37 anos; Tiago de Souza Soares, 30 anos; Paulo da Silva Santos, 42 anos; Jose Francisco dos Santos, 30 anos e Paulo Márcio Rodrigues de Araújo, 31 anos. Os cinco detentos foram indiciados pela Polícia Civil por todos os 26 homicídios cometidos dentro do presídio, pelos crimes de dano público, lesão corporal, vilipêndio de cadáver e associação criminosa.

A matança em Alcaçuz entre o sábado (14) e o domingo (15), deixou, segundo contagem do Itep até o momento, 26 detentos brutalmente assassinados na rebelião que durou mais de 14 horas.

Informações extraoficiais dão conta que os presos foram encaminhados para Rondônia.

divulgaçao

Cerca de dez homens encapuzados invadiram a cidade de Tangará, distante 93 km de Natal, na madrugada desta quarta-feira (25), renderam alguns moradores e explodiram uma agência bancária localizada na praça central. Os suspeitos, de acordo com testemunhas agiram usando fuzis e pistolas, além de grampos que foram espalhados na entrada do município.

O fato ocorreu por volta das 3h, o bando chegou dividido em três carros que ficaram estacionados na frente da agência do Bradesco. Pelo menos quatro pessoas que estavam na praça central foram rendidas enquanto explosivos eram instalados no banco. Em poucos minutos o prédio foi parcialmente destruído e os criminosos fugiram levando uma quantia em dinheiro não revelada.

Segundo informações do Comando Geral da Polícia Militar devido ao baixo efetivo na cidade, no momento da invasão, não houve possibilidade de reação, porém outras equipes de municípios vizinhos foram acionadas e realizaram diligências.

divulgaçao

6266a7ab-e7c1-4bf5-8a60-53e165aca881

A rebelião no Instituto Penal Agrícola na cidade de Bauru, interior paulista, resultou na fuga de 200 presos, informou o Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). Parte dos presos foram recapturados, mas não há informações sobre o número exato dos que continuam foragidos.

Um desentendimento entre presos e funcionários da penitenciária começou por volta das 8h30. Colchões chegaram a ser queimados e o Corpo de Bombeiros enviou sete viaturas ao local. Ninguém ficou ferido.

A penitenciária tem capacidade para 1.124 internos, mas estava com 1.427 presos. O Instituto Penal funciona em regime semi-aberto e está localizada na Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, altura do quilômetro 349, na zona rural.

Agência Brasil – foto Globo

Star

alcaçuz

Organizações de classe e movimentos de direitos humanos que formam a Frente de Apoio aos Familiares e de Acompanhamento do Sistema Penitenciário do Rio Grande do Norte, criada recentemente, cobram do governo o acesso a informações e a participação no planejamento de ações para contribuir na solução da crise prisional do estado.

O grupo é formado por 24 entidades, entre instituições nacionais como o Instituto Brasileiro de Ciências Criminais e a Associação Brasileira de Psicologia Social, departamentos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), conselhos regionais de classe, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Conselho Estadual de Direitos Humanos e Cidadania e movimentos como a Pastoral Carcerária. Eles lançaram um manifesto, ontem (23) à noite, com quatro pedidos direcionados ao governo estadual.

Um deles é o acesso da Pastoral ao interior da penitenciária de Alcaçuz. Ao longo do conflito instalado na unidade, desde o dia 14 de janeiro, integrantes da organização – que já realizava um trabalho com os detentos antes da crise – tentaram acesso ao presídio, sem sucesso.

“Devido à dificuldade de informações, os familiares acabam por não acreditar nos que eles [agentes penitenciários, policiais, governo] dizem. E o fato de não acreditar prejudica o próprio trabalho deles, então a sociedade civil estando presente é mais uma voz sincera que vai mostrar a situação para reduzir os problemas que a rebelião gerou”, afirma o padre Hugo Galvão, coordenador estadual da Pastoral Carcerária. “Nós, como estamos mais próximos das famílias, temos uma atuação periódica dentro do presídio, podemos contribuir”.

O acesso à informação também é cobrado em relação aos nomes de presos transferidos e mortos, ao andamento de buscas, à regularidade da alimentação dos detentos de Alcaçuz e a outros dados que podem auxiliar as organizações a prestar assistências aos familiares e propor ações para resolver a crise. “Temos dificuldade para receber, por exemplo, a lista dos presos transferidos de Alcaçuz. As famílias não sabem onde eles estão”, lembra Daniela Rodrigues, presidente do Conselho Regional de Psicologia e representante da entidade no Conselho Estadual de Direitos Humanos do Rio Grande do Norte.

Daniela argumenta que a redução do problema a uma briga entre duas facções ignora que dentro do presídio existe uma população carcerária que não é participante de nenhum dos dois grupos e acaba ficando de fora do planejamento de solução da crise. “Temos um contingente de presos que não estão envolvidos diretamente nesse conflito, e as famílias desses presos precisam da ação de tutela garantida pelo Estado”, defende.

As organizações pedem também o acompanhamento dos trabalhos do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) pelo Observatório da Violência (Obvio/RN), que poderia, segundo a Frente, auxiliar na identificação e contagem de mortos.

“A gente está se colocando em uma postura colaborativa. Não é para afrontar o Estado ou bater de frente. É uma tentativa e intermediar e, por outro lado, dar legitimade, a partir de uma análise imparcial, ao trabalho que vem sendo desenvolvido pelo governo”, defende Gabriel Bulhões, presidente da Comissão de Advogados Criminalistas da OAB/RN e coordenador estadual do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais.

Segundo Bulhões, o grupo pretende ainda reunir informações sobre “possíveis abusos e erros técnicos que poderão subsidiar, eventualmente, alguma representação institucional junto aos órgãos responsáveis pela fiscalização do sistema prisional estadual”.

Agência Brasil

SERTÃO SERIDÓ

Os dois soldados da polícia militar mortos durante um ataque de bandidos em Bom Jesus da Lapa, na noite de domingo (22), foram levados como reféns e executados pelos bandidos. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) na manhã desta segunda-feira (23). Ainda de acordo com a SSP-BA, o criminoso que morreu ao trocar tiros com a polícia estava em posse de um fuzil e um colete.

O grupo, com cerca de 20 homens, estourou transformadores de energia na entrada da cidade, e além de carros queimados, chegou a usar um caminhão para bloquear a passagem da polícia na saída de Bom Jesus da Lapa.

Na manhã desta segunda-feira, a Polícia Militar intensificou as buscas pelo bandidos. Diligências estão sendo feitas na região oeste da Bahia, com apoio de equipes de unidades especializadas e do serviço de inteligência e também do Grupamento Aéreo (Graer).

Policiais militares de estados vizinhos também foram alertados para fortalecer o cerco e impedir fuga dos bandidos. A PM calcula que toda ação dos bandidos durou cerca de 30 minutos. Os corpos dos policiais mortos foram encontrados no bairro de Salina, a cerca de 2 quilômetros do centro da cidade, e o policial ferido foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas passa bem.

Caso
Dois policiais militares foram mortos a tiros, e um ficou ferido, durante um ataque de cerca de 20 homens ao município de Bom Jesus da Lapa, na região oeste da Bahia, na noite de domingo (22).

Segundo informações da polícia, o grupo invadiu a cidade com objetivo de explodir caixas eletrônicos. Um dos suspeitos morreu.

Ainda de acordo com a PM, por volta das 23h, houve tentativas de explosões em duas agências. A Polícia Militar (PM) impediu os bandidos e uma troca de tiros foi iniciada na cidade. Durante a perseguição aos bandidos, a polícia encontrou um carro abandonado carregado de explosivos, armas e munições. Outros carros foram queimados pelo grupo e utilizados para bloquear as estradas que dão acesso a cidade, com objetivo de atrasar a ação da polícia

As vítimas foram identificadas como os soldados Gilberto Lemos Silva Júnior, de 28 anos, e Everton Oliveira de Santana, 26 anos. O primeiro integrava a coorporação há um ano e sete meses, e o segundo há um ano e oito meses. Na manhã desta segunda-feira a PM se manifestou com uma nota de pesar.

G1 BA

SERTÃO SERIDÓ

FOTO 1

  • Após a saída da Polícia Militar da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, os presos voltaram a ocupar os telhados dos pavilhões e trocar ameaças entre eles. A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) nega que a rebelião tenha sido retomada. O Batalhão de Operações Especiais da PM (Bope) foi acionado. A Polícia Militar deixou a área interna da penitenciária – onde ficam os pavilhões – por volta das 18h de domingo, mas, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Sesed), permaneceu na área administrativa durante toda a noite.
  • FOTO 2

A tensão acontece após a rebelião que durou pouco mais de 14 horas, terminou na manhã de domingo (15) e deixou 26 mortos.

Os presos estão em cima dos telhados dos pavilhões com pedras, paus e facas nas mãos e com bandeiras com as siglas de duas facções criminosas. O vídeo acima mostra a situação na unidade. Os presos aparecem gritando frases como “a vitória é nossa”. Na Penitenciária de Alcaçuz os presos ficam soltos dentro dos pavilhões porque as grades das celas foram arrancadas em uma rebelião em 2015.

A Sejuc informou que a situação está tensa em Alcaçuz, mas que “não se configura uma nova rebelião” e que “hoje será um dia de operações na unidade com os grupos especiais da Sejuc e Sesed, além dos agentes penitenciários”.

Uma revista para buscar possíveis armas estava marcada para o início da manhã desta segunda-feira (16), mas um motim no Presídio Raimundo Nonato fez com que o Grupo de Operações Especiais (GOE) se deslocasse para aquela unidade e atrasou o início da revista em Alcaçuz.

FOTO 3

A Penitenciária de Alcaçuz passou uma rebelião de mais de 14 horas que terminou na manhã deste domingo (15) e deixou 26 mortos. Essa foi a rebelião mais violenta da história do Rio Grande do Norte.

A rebelião começou com uma briga entre presos dos pavilhões 4 e 5 por volta das 17h de sábado (14). De acordo com a presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários, Vilma Batista, homens em um carro se aproximaram do presídio antes da rebelião e jogaram armas por sobre o muro.

Segundo o governo, a briga estava restrita aos dois pavilhões. O pavilhão 5 é o presídio Rogério Coutinho Madruga, que fica anexo a Alcaçuz. Há separação entre presos de facções criminosas entre os dois presídios.

De acordo com a Sejuc, os próprios presos desligaram a energia do local e, com isso, os bloqueadores de celulares da unidade prisional deixaram de funcionar. Durante a madrugada foram ouvidos tiros dentro da unidade prisional e muita fumaça era vista no local.

Na manhã deste domingo, policiais militares entraram na unidade prisional com veículo blindado, vans e carros para tentar acabar com rebelião. A rebelião foi controlada por volta das 7h20 com a entrada do Bope e do Choque, além do Grupo de Operações Especiais formado por agentes penitenciários.

Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal, e é o maior presídio do estado. A penitenciária possui capacidade para 620 detentos, mas abriga cerca de 1.150 presos, segundo a Sejuc, órgão responsável pelo sistema prisional do RN.

Fernanda Zauli e Fred CarvalhoDo G1 RN

Radio Nova Era

presos-federais

Pelo menos 15 presos do sistema carcerário do Acre estão sendo transferidos para o presídio federal de Mossoró. O voo saiu do aeroporto de Rio Branco com destino à cidade potiguar no final da manhã desta quinta-feira (12), segundo informações do secretário de Segurança do Acre, Emylson Faria. A operação de embarque foi realizada pelo Sistema Integrado de Segurança Pública, com apoio da Polícia Federal. Os 15 presos transferidos para Mossoró são condenados por várias de crimes e cumprem pena em regime RDD. O governo do Acre solicitou a transferência porque eles estariam ameaçando o sistema carcerário. Havia o temor de rebelião no modelo que ocorreu nos presídios do Amazonas e Roraima. Além da transferência dos 15 perigosos, a Secretaria de Segurança do Acre, com apoio do Governo Federal, adotou outras medidas para resguardar o sistema carcerário e evitar a ocorrências de rebeliões.

Maré Mansa

HOMEM-GROSSOS-1200-696x642

Após o ano inteiro de 2016 sem mortes violentas, foi registrado na manhã de quarta-feira (11), o primeiro homicídio do ano de 2017 em Grossos.Antônio Cesar Leal da Silva, 43 anos, solteiro, funcionário público municipal de Grossos. Além de trabalhar como Agente de Saúde, era locutor, músico e trabalhava no programa de rádio FM 104,3 de segunda a sábado trazendo informações sobre o governo municipal. Ainda não se sabe o motivo do assassinato. Segundo informações, a vítima estava saindo de sua residência quando foi surpreendido por elementos que efetuaram vários disparos de arma de fogo, provavelmente calibre 12.

STIGMA

Confrontos entre bandidos e policiais militares durante uma tentativa de assalto na madrugada desta sexta-feira, 4, em Limoeiro do Norte, deixou quatro pessoas mortas, entre elas um PM. As informações são do site Fim da Linha e da TV Jaguar.

Os bandidos foram identificados como Matheus Lucas da Silva Rocha, morador do bairro Santo Antônio, Francisco Walison Morais de Souza, foragido do presídio de Caicó, e José Rosivan Félix, mais conhecido como Vain, foragido de Alcaçuz. Todos são de Mossoró. O policial morto no tiroteio foi identificado como Cabo Romeu.

Segundo informações, os indivíduos estavam em um veículo Honda CR-V de cor escura e placas EZK-8576, de São Caetano do Sul.

A suspeita da polícia era de que os bandidos estavam se preparando para arrombar a Loja Zenir, situada no Centro do município cearense.

Outros dois suspeitos de participarem do grupo conseguiram fugir pelo matagal e estão sendo procurados pela Polícia Militar.

divulgacao

André Fernandes de Azevedo, acusado pela prática de crime de tráfico de drogas, previsto no artigo 33 da Lei nº 11.343/2006, teve o pedido de liberdade apresentado por sua defesa negado pela Câmara Criminal do TJRN. O relator do Habeas Corpus foi o desembargador Gilson Barbosa. O processo está relacionado à Operação Cordilheiras, deflagrada na região do Seridó e fruto de investigação do Ministério Público estadual em junho de 2015.

Ele foi preso em flagrante em 22 de junho do ano passado. A operação teve como alvo, principalmente, o combate ao trafico de drogas, roubos e homicídios e durante o desdobramento ocorreram 21 flagrantes que resultaram em 28 Prisões e sete apreensões de menores de idade. Para o desfecho, foram expedidos 32 mandados de prisão preventiva, destes 19 já estavam custodiados no sistema prisional. Também foram expedidos 24 mandados de busca e apreensão.

A defesa alegou, dentre outros pontos, que não existem indícios de autoria e materialidade do crime por parte de André Azevedo e destacou as condições pessoais favoráveis. O HC também sustentou a possibilidade de substituição da prisão pelas medidas cautelares, previstas no artigo 319 do Código de Processo Penal.

“Quanto à tese de negativa de autoria e materialidade do delito, entendo que a via estreita do habeas corpus não é adequada para analisar tais questões, por demandar o exame aprofundado de provas, consoante reiterada jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça”, esclareceu Gilson Barbosa.

Segundo a decisão, a peça inicial não veio acompanhada de elementos necessários à respectiva análise do pleito, fundado na tese de ausência de requisitos legais para o encarceramento, pois está ausente a fotocópia da decisão que decretou a custódia cautelar do acusado, essencial a evidenciar, com clareza, a existência de ameaça ou constrangimento ilegal à liberdade do acusado.

Habeas Corpus Com Liminar n° 2016.016421-7

clinica-dr-jodinaldo-lucena

whatsapp-image-2016-10-21-at-12-51-06

Por voltado meio dia desta sexta-feira, 21 de outubro, o COPOM foi acionado para verificar uma ocorrência de um assalto em andamento a um comércio no Centro de Currais Novos, onde um veículo Celta da cor preta, com placas de Mossoró estaria dando apoio.

Rapidamente todas as viaturas da Polícia Militar e da Polícia Civil foram deslocadas para o local e se depararam com os suspeitos em fuga que não atenderam a ordem de parada e efetuaram disparos contra as guarnições. Houve perseguição e na Rua Benedito Gonçalves, Bairro Paizinho Maria, os bandidos se depararam com o reforço e ouve uma intensa troca de tiros onde os 04 acusados foram baleados. Informações extra-oficiais são de que dois morreram na ação.

kalango-outubro

files_51306_20100921141907e5b0-imagem-nominuto-com

A situação penitenciária em Boa Vista ainda é instável. Após a rebelião de domingo, que deixou pelo menos dez mortos, uma nova contagem apontou que dez detentos ainda estavam desaparecidos – partes de corpos ainda eram retiradas do local, onde houve mutilações e decapitações, nesta terça. Todos os mortos seriam do CV, que dominava 10% do presídio. As execuções teriam sido ordenadas pelo PCC. O governo federal confirmou nesta terça-feira, 18, que enviará 16 líderes das facções locais para o presídio de Mossoró.

Já o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, anunciou a liberação de R$ 2,2 milhões para o sistema prisional e o envio de homens do Departamento Penitenciário Nacional. O Estado ainda pediu a construção de mais um presídio em Boa Vista. Já o Ministério Público de Roraima solicitou à Procuradoria-Geral da República que o governo federal intervenha no sistema.

Rondônia. Em Porto Velho, os atritos entre PCC e CV resultaram em oito mortes e na destruição de todo um pavilhão da Penitenciária Estadual Ênio dos Santos Pinheiro. Os 250 presos que lá se encontravam foram transferidos nesta terça para outras unidades (Urso Branco e Urso Pimpão – presídio inaugurado na semana passada). Parte ainda é mantida no Pavilhão A do próprio Ênio Pinheiro.

Segundo as investigações, presos do CV exigiam que os detentos do PCC, que estavam em uma das celas, aderissem ao grupo adversário. Como isso não aconteceu, os presos do CV atearam fogo em uma das celas, causando as mortes.

piano-novo

jose-marcelo-lucas-da-silva-bermuda-branca-foragido-do-pep

Policiais da 2ª Companhia Independente de Polícia Militar (2ª CIPM) detiverem na manhã desta quarta-feira (19), na cidade de Pureza, após denúncia anônima, três pessoas suspeitas de crimes na região. Entre eles estava Jose Marcelo Lucas da Silva, de 32 anos, foragido do Presídio Estadual de Parnamirim (PEP) desde o dia 13 de julho deste ano, Marcelo Augusto da Silva, de 23 anos, que responde por porte ilegal de arma de fogo e um adolescente de 17 anos que estava com uma motocicleta Honda FAN, de cor preta e placas NNY 6073 com registro de roubo. A Polícia suspeita do envolvimento do trio com facções criminosas do estado e envestiga o que estava planejando fazer no município. O grupo foi detido no interior de uma pousada.

divulgacao

A prisão de 44 policiais militares foi decretada pelo Ministério Público do Ceará. Segundo o MP cearense, os PM’s estariam envolvidos na morte de 11 pessoas no último mês de novembro em Messejana, na região metropolitana de Fortaleza. Sete sobreviventes serão ouvidos em outubro deste ano.

A prisão preventiva dos 44 policiais militares foi decretada por um colegiado de juízes da 1ª Vara de Execuções Penais. A Justiça atendeu ao pedido do Ministério Público estadual.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, os assassinatos aconteceram com o intervalo de 12 horas. As vítimas tinham idades de 17 a 41 anos e apenas duas tinham passagens pela Polícia: uma por crime de trânsito e outra por falta de pagamento de pensão. De acordo com testemunhas, algumas pessoas foram mortas no meio da rua e outras dentro de casa.

Dos 45 militares denunciados pelo Ministério Público (MPCE) por suposta participação na matança, ocorrida há nove meses, em Fortaleza, 44 se tornaram réus no processo que apontará os culpados pelos crimes que deixaram 11 pessoas mortas e outras sete feridas.

Os acusados se apresentaram ao Comando-Geral da PM, na manhã da última quarta-feira, 31, na Capital. Todos os policiais já estão recolhidos, à disposição da Justiça.

Com informações do O Povo e G1 Ceará

Sertão Seridó

O Presídio Federal em Mossoró receberá 12 presos oriundos do estado do Acre. A transferência dos detentos foi motivada por uma série de ataques aquele estado informou o portal G1 do Acre.

Eles cumpriam pena no presídio Francisco D’Oliveira Conde, em Rio Branco, e foram transferidos na última sexta-feira, 26, pelo Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC).

Segundo a reportagem do portal acreano, a transferência teve início na madrugada da sexta. Os presos foram trazidos para a unidade prisional federal em um avião da Polícia Federal.

O secretário de Segurança Pública do Acre, Emylson Farias, disse que os transferidos tem certa liderança e são de alta periculosidade.

“Esses presos foram levados em comboio para o aeroporto de Rio Branco, lá foram feitos exames de corpo delito para serem encaminhados para Mossoró. São 12 pessoas de alto poder lesivo, que fazem parte do crime no estado e que têm certa liderança no mundo do crime. Não descarto a hipótese de outras transferências”, afirmou o secretário, ao G1 AC.

A onda de atentados teve início após Macio Pires Teles do Nascimento, de 18 anos, morrer em uma troca de tiros com a polícia no bairro Vila Acre, na terça (16). Segundo a PM, Nascimento fez uma família refém durante um assalto e, ao tentar fugir, entrou em confronto com a PM e foi baleado.

Uma das nove ocorrências registradas na primeira noite foi a perda total do arquivo cultural do Parque Capitão Círiaco. A Sesp-AC anunciou uma operação com a convocação de 373 agentes das polícias Militar, Civil, Federal e Rodoviária Federal (PRF), do Exército, do Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTrans), além de representantes do Ministério Público (MP-AC) e do Judiciário.

Com informações do G1 AC

Sertão Seridó Star

Paulo Victor Lopes Monteiro, um dos bandidos mais procurados pela Polícia do Ceará,  condenado a 60 anos de prisão e foragido do Sistema Penitenciário local desde abril passado, foi capturado pela Polícia no Estado de Alagoas. A informação, em primeira-mão, foi confirmada pélas autoridades daquele Estado no fim de semana.

O bandido, que responde no Ceará por crimes de assaltos, assassinatos e seqüestro, foi detido quando ele e sua quadrilha planejavam assaltar e explodir uma agência bancária na cidade de São José da Laje, no Interior de Alagoas (a 94Km de Maceió).  Um cerco foi montado por policiais militares do 2ºBPM/AL.

Conforme a Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Segurança Pública de Alagoas, pelos levantamentos feitos no celular do acusado, ele e sua quadrilha planejavam o ataque ao banco nas próximas horas.  O criminoso, que usava documentos falsos, foi detido pela PM alagoana  na companhia de um comparsa, identificado como Daniel Florêncio da Silva.

Os dois foram transferidos para Maceió no último sábado e deverão ser apresentados à Imprensa daquela capital por volta de 11 horas desta segunda-feira.

Sequestro e morte

A fuga do bandido ocorreu em abril deste ano. Ele estava recolhido na Casa de Privação Provisória da Liberdade Agente Luciano Andrade Lima, a CPPL 1, no Município de Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O detento “desapareceu” misteriosamente daquela unidade, fato que levou a direção da Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejus) a exonerar das funções o diretor e mais dois agentes que ali trabalhavam.

O bandido foi condenado, em 6 de junho deste ano, a 60 anos de prisão pela morte do vereador Amarílio Pequeno da Silva e do policial civil aposentado, José Alves Bezerra. O duplo assassinato ocorreu na noite de 20 de setembro de 2011, em plena praça pública (Praça do Giradouro), na cidade de Juazeiro do Norte, no Cariri (a 528Km de Fortaleza). Na época, o vereador ocupava o cargo de secretário de Governo de Juazeiro.  Teria sido um crime de pistolagem (de aluguel).

Porém, Paulo Victor tem em sua ficha criminal  outros delitos graves, como o caso do seqüestro do jovem empresário Porcino Fernandes da Costa Segundo, o Porcino Júnior, cuja família é dona de vários postos de combustíveis no Rio Grande do Norte.  O crime ocorreu em 2012.

O rapaz passou 37 dias em cativeiro, sendo o caso considerado um dos mais longos seqüestros ocorridos naquele Estado. O caso teve grande repercussão naquele estado.

Ainda em 2012,  Paulo Victor e dois comparsas foram presos em território potiguar. Trazido para o Ceará, ele encaminhado a CPPL 1 , de onde fugiu de forma que ainda não foi inteiramente explicada e que custou a exoneração dos três servidores.

Fonte: Blog do Fernando Ribeiro.

Piano novo

Chega a 11 o número de mulheres assinadas no Rio Grande do Norte nos últimos 11 dias. A média absurda de um assassinato por dias é revelada em reportagem do G1 – Natal.

01 Maria do Socorro Morais, esfaqueada em São João do Sabugi - foto arquivo pessoal

Maria do Socorro Morais, esfaqueada em SãoJoão do Sabugi, tinha 37 anos(Foto: Arquivo Pessoal)

Cinco mulheres foram assassinadas durante este final de semana no Rio Grande do Norte. Em NatalSão José de Mipibu, Parnamirim e São João do Sabugi, as vítimas foram mortas na madrugada deste domingo (21). Na região Oeste, uma doméstica que havia sido baleada na quarta-feira (17) em Governador Dix-Sept Rosado não resistiu aos ferimentos e morreu na madrugada do sábado (20) no Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró.

Com mais estes cinco casos, chega a 11 o número de mulheres mortas nos últimos onze dias no estado. A maioria, vítima de feminicídio – que é quando uma pessoa é morta pela condição de ser do sexo feminino.

Domingo

Em Natal, Roberta Nogueira da Silva, de 35 anos, foi encontrada morta no meio de uma rua no bairro Pajuçara, na Zona Norte da cidade. Policiais do 4º Batalhão relataram que a mulher foi encontrada na rua Castelo Branco, por volta das 4h deste domingo, e que ela tinha perfurações nas costas. Também há informações de que a vítima teria sido jogada de um carro em movimento.

Em Parnamirim, o corpo de Emília Miranda da Silva, de 29 anos, foi encontrado por volta das 4h. Estava na rua Dom João, no bairro de Santos Reis. A polícia disse que ela foi morta a pauladas, mas que não tem pistas dos criminosos.

Em São José de Mipibu, uma mulher também ainda não identificada foi morta a facadas dentro de um condomínio na comunidade Pau Brasil.

Já em São João do Sabugi, também nesta madrugada, a vítima foi uma comerciante autônoma de 37 anos. Maria do Socorro Morais estava em casa com o atual companheiro quando o ex-marido dela arrombou a porta, invadiu a residência e atacou o casal com goles de faca. Ferida no peito e em um dos braços, Maria foi socorrida para um hospital em Caicó, onde morreu por volta das 9h. O assassino fugiu. O companheiro da vítima, que também foi esfaqueado, permanece internado. Segundo o sargento Adriano Azevedo, o estado de saúde do homem é grave, mas estável. “Ainda fizemos buscas pelo criminoso, mas ele conseguiu fugir”, acrescentou. Ainda de acordo com o sargento, a faca usada no crime foi apreendida.

02 Antônia Edinete de Oliveira tinha 37 anos - foto arquivo pessoal

Antônia Edinete de Oliveira tinha 37 anos  (Foto: Arquivo Pessoal)

No sábado (20), a vítima foi a empregada doméstica Antônia Edinete de Oliveira, de 37 anos. Ela morreu no Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró, onde tentava se recuperar dos tiros que sofrera na última quarta-feira (17) na cidade de Governador Dix-Sept Rosado. O irmão dela, que tem 35 anos, também foi alvo dos disparos. Ele continua hospitalizado. A polícia ainda não tem pista dos criminosos.

Edinete e o irmão foram baleados quando chegavam em casa, no Sítio Ipueira. Os assassinos são dois homens que chegaram à comunidade de moto, obrigaram as vítimas a ficarem de costas e atiraram. Segundo a Polícia Militar, não houve anúncio de assalto.

Os irmãos receberam os primeiros atendimentos médicos em uma unidade de saúde do município. Em razão da gravidade dos ferimentos, foram transferidos para Mossoró.

 

Ana D’ávila Gomes de Oliveira - foto arquivo pessoal

Ana D’ávila Gomes de Oliveira (Foto: Arquivo Pessoal)

 

A primeira das onze vítimas foi a técnica em enfermagem Ana D’Ávila Gomes de Oliveira, de 47 anos, esfaqueada dentro de casa. O crime aconteceu no dia 10, na cidade de Santa Cruz. Ela trabalhava como socorrista do Samu. Ana ainda foi socorrida, mas morreu ao chegar ao hospital. Apontado como responsável pelo crime, o ex-companheiro dela fugiu. Porém, misteriosamente, apareceu morto dois dias depois. O corpo de Josinaldo Gomes da Silva, mais conhecido como ‘Vaqueiro’, foi encontrado na zona rural de Lajes Pintadas, a 130 quilômetros da capital. De acordo com o delegado Silva Júnior, o cadáver tinha marcas de dois tiros no peito. Uma pistola foi encontrada ao lado do corpo. O delegado solicitou perícia, mas afirmou que existem indícios de suicídio. A polícia acredita que Josinaldo matou a ex-companheira porque ela não aceitava retomar o relacionamento.

Ainda no dia 10, e também a facadas, foi morta a dona de casa Josefa Ferreira da Silva, de 41 anos. O crime aconteceu na cidade de São Rafael, no Oeste potiguar. De acordo com a Polícia Militar, Josefa foi assassinada na frente dos quatro filhos. O marido da vítima, um pescador de 46 anos, foi preso em flagrante. Ainda segundo a polícia, o casal discutiu na frente dos filhos. “Eles costumavam beber muito e discutir. O marido disse que Josefa o agredia e vice-versa”, informou o sargento Agenor Batista dos Santos, comandante do destacamento da cidade.

Mykaella Ruanna foi morta com 5 tiros na cabeça  - foto arquivo pesoal

Mykaella Ruanna foi morta com 5 tiros na cabeça  (Foto: Arquivo pessoal)

Na noite da quinta-feira (11), a vítima foi a diarista Mykaella Ruanna Pereira Fagundes, de 21 anos. Ela foi morta a tiros em frente a uma academia no bairro das Rocas, na Zona Leste deNatal. A Polícia Militar informou que ela estava conversando com uma amiga quando foi baleada na cabeça. O ex-namorado dela, que é presidiário, é suspeito de ser o mandante do crime. Segundo a PM, um carro prata se aproximou e um homem que estava no banco do passageiro atirou. A amiga não foi atingida. A mãe da jovem contou que a filha havia terminado recentemente com o namorado. O detento teria ligado para Mykaella para avisar que um amigo a procuraria para entregar um dinheiro para o filho do casal, que tem 3 anos. Na hora marcada do encontro, ela foi morta.

Franciscris Silva Fernandes - foto arquivo pessoal

Franciscris Silva Fernandes (Foto: Arquivo Pessoal)

O quarto caso foi o da dona de casa Franciscris Silva Fernandes, de 24 anos. Ela foi esfaqueada pelo próprio companheiro, crime ocorrido no sábado passado, dia 13, em Mossoró. A mulher foi levada para o Hospital Regional Tarcísio Maia e submetida a uma cirurgia, mas não resistiu ao ferimento e faleceu na madrugada do domingo (14). O companheiro da vítima se apresentou à polícia na terça-feira (16). Alberto Sinésio de Melo, de 41 anos, disse que agiu em legítima defesa, já que a mulher teria tentado esfaqueá-lo durante a discussão. Após ser ouvido, foi liberado. “Com o mandado expedido na quarta, fomos à residência da família dele na manhã da quinta, em Tibau, e o prendemos. Ele agora vai responder pelo crime de feminicídio com os agravantes de ter assassinado a companheira por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima.

O quinto caso foi o da jovem Naiara Régia Noemi da Silva, de 18 anos, morta a tiros no dia 16. O crime aconteceu no bairro Nossa Senhora da Apresentação, na Zona Norte de Natal. De acordo com informações da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a mulher foi morta com 7 tiros. O ex-companheiro da vítima seria o autor dos disparos.

Já na madrugada da quinta-feira (18), em Macaíba, cidade da Grande Natal, o alvo foi a paraibana Andreza Diana de Freitas, de 21 anos, baleada na cabeça. O crime aconteceu pouco depois da meia-noite na rua Luiz Gonzaga, no Ferreiro Torto. Ao lado do corpo, ficaram as sandálias, a bolsa da vítima e uma latinha de cerveja. Ainda não há informações sobre os assassinos nem sobre a motivação do crime.

divulgaçao

Um ex-vereador e o filho dele foram mortos a tiros em Antônio Martins. O crime aconteceu no início da tarde desta terça-feira (16). A autoria e motivação do crime não foram apontados.

A informação é que “Valdeci de Nozin” e o filho identificado apenas como “Jaburu” foram baleados quando chegavam em casa. O ex-vereador morreu no local e o filho morreu no hospital, em Patu, para onde foi socorrido

O relato é de que horas antes do ataque as vítimas tinham ido à cidade de Alexandria prestar esclarecimentos sobre uma ocorrência que terminou com duas pessoas mortas e um irmão do vereador baleado, na cidade de João Dias, na manhã do último domingo (14).

Quando chegavam em casa, pai e filho foram surpreendidos e baleados. Valdeci de Nozin ainda tentou fugir, mas, bateu o carro e morreu dentro, quando chegava na BR-226. O filho dele ainda foi socorrido ainda com vida para um hospital na cidade de Patu, mas, também não resistiu e morreu.

Com informações do O Câmera.

Clinica dr jodinaldo lucena

www.scriptsell.net