All posts under: Cultura

(ASCOM – Reitoria/UFRN)

O Grupo de Dança da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (GDUFRN) apresenta o espetáculo (Des) CAMINHOS, às 19h dos dias 10 e 11 de novembro, no Auditório da Escola de Música da UFRN. O evento conta também com a participação do artista João Natal, que exibe exposição no hall de entrada do auditório.

O espetáculo é inspirado na obra “O turista aprendiz”, do escritor Mário de Andrade, que inclui aspectos originários de suas viagens ao Norte e Nordeste brasileiro e do seu encontro com o coqueiro potiguar Chico Antônio. Tudo isso articulado com narrativas dos próprios bailarinos, envolvendo dança, teatro, música, poesia, vídeo-arte e exposição de artes visuais. A apresentação possui a concepção e direção geral e artística de Teodora Alves; assistência de direção de Lisiane Miranda e Samara Salgueiro; composição cenográfica e pesquisa de Teodora Alves e do GDUFRN.

Crédito: Juliana Manzano

O 3° Encontro Nordestino de Saxofonistas e o 1º Encontro Potiguar de Clarinetistas acontecem, simultaneamente, desta quinta-feira (1) até o próximo domingo (4), na Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Os eventos contam com a presença de saxofonistas e clarinetistas brasileiros e estrangeiros, que abordarão os instrumentos sob aspectos relativos à performance, à técnica, o som, a pesquisa científica e a arte musical como um todo.

Promovido pela EMUFRN sob a coordenação dos professores João Paulo de Araujo, Anderson de Oliveira Pessoa e Amandy Bandeira, os Encontros pretendem promover a troca de conhecimento entre saxofonistas, entusiastas e amantes dos instrumentos, além de fomentar a discussão e divulgar os estudos recentes acerca do saxofone e da clarineta.

“Montamos uma programação muito interessante e diversificada que inclui as áreas artísticas e acadêmicas. Teremos concertos, recitais e apresentações de grupos do Rio Grande, da Paraíba e de Alagoas, por exemplo, mas também a apresentação de pesquisas, trabalhos e workshops. Esta é a primeira vez que os eventos serão realizados ao mesmo tempo e a nossa expectativa é grande para que seja um sucesso”, pontua o coordenador João Paulo de Araújo.

Crédito da Foto: João Gilberto

Os 30 anos da Academia Mossoroense de Letras (Amol) foram prestigiados em sessão solene na Assembleia Legislativa que reuniu, nesta terça-feira (16),  intelectuais da cidade, um dos grandes celeiros da produção cultural do Rio Grande do Norte. A propositura foi da deputada estadual Larissa Rosado (PSDB).

“Inegavelmente, Mossoró tem contribuição histórica para o Estado e o Brasil. A cultura que é uma das marcas da cidade é um elemento do próprio desenvolvimento do Rio Grande do Norte. Nesse sentido, a produção literária da cidade é uma expressão dessa riqueza cultural. Não por acaso, Mossoró é um dos poucos municípios do Brasil que tem sua própria academia de letras, a qual hoje tem nesta Casa seus trabalhos reconhecidos”, destacou a propositora da homenagem.

Nomes que fomentaram a produção literária de Mossoró desfilaram no Plenário Clóvis Motta. Foram homenageados nomes como Filemon Pimenta (autor do recente ‘Fatos do Tempo’), Benedito Vasconcelos Mendes, idealizador do Museu do Sertão de Mossoró, Elder Heronildes da Silva, que falou em nome dos homenageados.

“A Amol vem sendo responsável por preservar parte de nosso patrimônio cultural. Mossoró eleva aqui sua voz em gratidão à Assembleia Legislativa, que dignifica o âmago de tanta gente. Muito obrigado não só à deputada propositora, mas a todos aqueles que anuíram à homenagem”, destacou Heronildes.

Foram ainda agraciados pelas honrarias Francisco Obery Rodrigues, Geraldo Maia do Nascimento, Josafá Inácio da Costa, José Welligton Barreto, Maria do Socorro Cavalcanti, Ricardo Alfredo de Souza, Padre Sátiro Cavalcanti Dantas, Taniamá Vieira da Silva Barreto, Wilson Bezerra de Moura e Zélia Macêdo Lopes Heronildes da Silva.

 

Evandro Ferreira – ASCOM – Reitoria/UFRN

A Biblioteca Central Zila Mamede (BCZM) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realiza um sarau poético nesta sexta-feira, 28, às 16h, na sala de Coleções Especiais. O evento faz parte da comemoração dos 90 anos de nascimento da poeta Zila Mamede, além do aniversário de 60 anos do lançamento do livro Salinas e da primeira edição do livro Navegos, que reúne toda a obra poética da autora entre 1953 e 1978. A homenagem percorre vários ambientes da BCZM por meio da exposição “Zila Mamede: a poeta bibliotecária”, que segue até o dia 15 de outubro e reúne 90 de suas poesias.

Zila da Costa Mamede (1928-1985) nasceu no município de Nova Palmeira, na Paraíba e aos seis anos de idade passou a viver no Rio Grande do Norte. Iniciou sua carreira em 1954, quando assumiu o cargo de Auxiliar de Biblioteca da Biblioteca do Instituto de Educação do Rio Grande do Norte (hoje Atheneu Norte-Riograndense).

Em 1974 planejou, organizou e instalou o acervo básico necessário ao funcionamento dos cursos da UFRN, representando a Biblioteca Central (antes Serviço Central de Bibliotecas da UFRN). Nomeada Diretora da Biblioteca Central da UFRN, ficou no cargo até 20 de março de 1980, quando se aposentou.

Credito: ASCOM/Reitoria, Wilson Galvão, Marina Gadelha, Williane Silva e Cícero Oliveira

A Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (OSUFRN) realiza, no próximo sábado, 22, seu sexto concerto oficial de 2018. O evento acontecerá em duas sessões, às 18h e às 20h, na Escola de Música (EMUFRN), com regência do maestro André Muniz.
O repertório traz as obras Sinfonia nº 4, escrita em 1806, por Beethoven, e Os Pinheiros de Roma, peça do principal compositor italiano do século XX, Ottorino Respighi. O evento é gratuito e os ingressos podem ser retirados a partir da quinta-feira, 20, na coordenação de eventos da EMUFRN.
Apresentação no Vaticano
A escolha do repertório marca o início oficial das atividades da Orquestra Sinfônica, que participará da audiência geral do Vaticano, com a presença do Papa Francisco, no dia 12 de dezembro. Esta será a segunda vez que a Orquestra se apresenta internacionalmente, a primeira aconteceu em 2015, na Alemanha.

Crédito da foto: PMM

A 20ª Festa do Bode tem início nesta quinta-feira (20), no Parque de Exposições Armando Buá, e segue até o próximo sábado (22), com uma programação voltada à cadeia produtiva da ovinocultura e desenvolvimento rural.

Neste primeiro dia de programação do evento em Mossoró, a abertura oficial acontece às 19h. No entanto, durante o dia será realizado a pesagem e mensuração dos animais para julgamento, plantão técnico veterinário, além de um curso de reuso de águas servidas na produção de forrageira, e um programa de Inclusão Digital Rural.

Ainda na noite de hoje acontecem shows artístico-culturais, com Filipe Costa e Forró dos 3. A programação segue no decorrer desta sexta-feira (21) com mais cursos e oficinas e shows à noite de Aline e Deyvid e Forró Com Ela.

No sábado (22), acontecem mais cursos e shows de André Luvi e Lucas Lima.

Crédito: João Bezerra Júnior – Assessor de Comunicação

Um dos grandes eventos de cultura popular do Rio Grande do Norte, o “6º Encontro de Bonecos e Bonequeiros do Teatro de João Redondo do RN” acontecerá nos próximos dias 28 e 29 em Currais Novos e terá uma programação diversa com apresentações na Feira Livre Municipal e Praça Tetê Salustino. Neste ano o encontro irá homenagear o brincante Francisco Ângelo da Costa (Chico Daniel ou Chico de Daniel).

O evento é realizado pela APOTB – Associação Potiguar de Teatro de Bonecos com apoio da Prefeitura Municipal de Currais Novos através da Fundação Cultural “José Bezerra Gomes”, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo – SEMTUR e Aldann Construções, e com patrocínio do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

No dia 28 de setembro às 10h acontece à acolhida dos brincantes no “Solar das Artes”, à tarde acontecem apresentações em diversas instituições do município e à noite a partir das 19h os brincantes realizam apresentações na Praça “Tetê Salustino”.  Na manhã do sábado (29) tem apresentação na Feira Livre a partir das 8h, às 14h os brincantes se reúnem no Solar das Artes, e à noite na Praça “Tetê Salustino” acontecem diversas apresentações a partir das 19h.

CHICO DANIEL

Francisco Ângelo da Costa (Chico Daniel ou Chico de Daniel), nasceu em Assu em 1941 e herdou do avô a profissão de bonequeiro. Seus espetáculos se caracterizavam pela originalidade em relação ao teatro da tradição, não apenas pelos personagens que apresentava, mas também pelas tramas das histórias inspiradas no anedotário popular, piadas de circo e outras fontes urbanas. Chico Daniel representou o RN em Encontros Nacionais e Internacionais de Bonecos, e foi considerado por Ariano Suassuana como “um dos maiores artistas populares do Brasil”. Faleceu em 2007 deixando multiplicadores de sua arte, como seus filhos Josivan e Daniel. Hoje, Chico Daniel é o nome do Teatro de Cultura Popular da Fundação José Augusto.

Foto: Divulgação

Artesãos e produtores do Rio Grande do Norte participam da 24ª edição da feira Brasil Mostra Brasil que acontece no Arena das Dunas, em Natal, até 9 de setembro. Os estandes do RN foram viabilizados com recursos do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial.

Os visitantes vão se deparar com trabalhos manuais dos nossos artesãos, opções são fartas que vão desde esculturas de madeira, redes, bordados e bonecas de pano. A gastronomia também está presente com venda de mel, geleias e doces em compotas, biscoitos caseiros e mais uma variedade de produtos.

“Ao viabilizar a vinda dos nossos artesãos e produtores estamos incentivando a economia e possibilitando acesso à novos mercados. É muito gratificante ver dona Helena, por exemplo, expor e passar seus conhecimentos na área de artesanato para as novas gerações”, comenta Vagner Araújo, secretário da Sethas e coordenador do Governo Cidadão.

Para Dona Helena Medeiros, 83 anos, da Associação Cultural dos Artesãos de Lajes Poção, o artesanato significa memória. Há mais de 20 anos no ramo, já participou de 10 feiras BMB. “O interesse é que chegue ao povo, que o povo compareça. E sempre o povo pergunta: ‘E esse trabalho?’ É criação minha. Quando eu falto aqui, eles me perguntam ‘Helena, cadê os trabalhos?’ Então eu venho. E gosto. E ajudo também as associadas. Elas trabalham comigo e também recebem, tem um bom rendimento”, conta. “Para os outros eu digo: continue trabalhando, porque é muito importante. E ajuda as pessoas no conhecimento cultural”.

Já Francisco Ricardo da Silva, 38 anos, é agricultor e produz mel em Lajes. Trabalha há 14 anos com apicultura e está em seu 8º ano de Brasil Mostra Brasil. “Se torna uma vitrine muito boa para nossos produtos serem lançados no comércio. Eu moro num interior pequeno, 10 mil habitantes, o mercado ainda é pouco. Aí tem que se expandir aqui para Natal para escoar a demanda de mel”, relata o apicultor.

Aproximadamente 300 artesões e agricultores são beneficiados diretamente, entre associações e autônomos, e indiretamente, 1.500. Eles vem de diversas regiões do RN, desde o Seridó ao Vale do Assú, Agreste e região metropolitana de Natal.

Por meio de feiras locais, regionais e internacionais, os artesãos do Estado tem conseguido expor seus trabalho sempre com apoio da Sethas e do Acordo de Empréstimo com o Banco Mundial.

Crédito das Fotos:  Eduardo Maia

Está em cartaz até a próxima segunda-feira (13), no Salão Nobre da Assembleia Legislativa, a exposição “Ferramentas para ferir a pedra”, de Henrique Pereira Bezerra, que conta com 20 fotografias espalhadas pelo salão aberto à visitação das 8h às 15h. Henrique é odontólogo de formação desde 1988, e trabalha no setor de Saúde da Casa Legislativa.
“A escolha pela fotografia foi para fazer uma atividade extra que me desse prazer”, disse Henrique, justificando a opção pelo que encara como um hobby. “A fotografia contemporânea vai além da imagem”, afirmou o dentista fotógrafo, explicando o estilo que escolheu para imprimir na sua arte.
Foi em 2006 que Henrique Pereira Bezerra se encantou pela fotografia e transformou em atividade que completa seus dias de trabalho como dentista. E uma ‘residência fotográfica’ realizada nas pedreiras do município de Passa e Fica, na região Agreste do Rio Grande do Norte, já lhe rendeu algumas apresentações como uma exposição na Pedra da Boca e no Festival de Fotografias de Quixeramobim, no Ceará, além desta exposição em cartaz no Palácio José Augusto.
As pedras e ferramentas que compõem as pedreiras de Passa e Fica, estão expostas no Salão Nobre da Assembleia Legislativa. A exposição “Ferramentas para ferir a pedra” conta com 20 fotografias que serão espalhadas pelo salão e poderão ser visitadas de segunda a sexta-feira, das 8 às 15 horas.
“A exposição ‘Ferramentas para ferir a pedra’ é o registro de uma conversa já antiga, há muito iniciada pelo ser humano, alimentada pelos poetas, pelos pensadores do espaço, pelos artistas. A pedra que fala mesmo sem linguagem humana”, explica Sofia Bauchwitz, curadora da apresentação, que ressaltou o direcionamento de Henrique Bezerra que pela fotografia de pedras e ferramentas, sem expor os trabalhadores das pedreiras. “Um esforço para chegar mais perto do não-humano e traduzir a experiência da terra, do pó, das horas que passam para todos”, disse Sofia.

 

Crédito das fotos: João Vital

 

A 35a edição da Feira de Artesanato dos Municípios do Seridó (Famuse) começou ontem (25) em Caicó, na Ilha de Santana. Sessenta artesãos de 24 municípios apoiados pelo Governo do Estado estão expondo seu trabalho durante todos os dias do evento. Visando o desenvolvimento regional sustentável, o Banco Mundial também patrocina a Feira com recursos do acordo de empréstimo.

A artesã Helena Medeiros, de 83 anos, levou a Caicó diversos exemplares de jogos americanos e toalhas que produz junto a quatro mulheres na zona rural de Ouro Branco. Bordadeira há 50 anos, ela enxerga na Famuse a oportunidade de divulgar seu trabalho e incrementar a renda doméstica. “Todas as feiras que posso eu participo”, registra.

O secretário da Sethas e coordenador do projeto junto ao Banco Mundial, Vagner Araújo, destaca a importância dos eventos regionais. “A Feira é um momento de reunir o talento dos nossos artesãos e promover condições para que possam viver de sua arte, com a geração de renda, divulgação e reconhecimento do seu trabalho”, disse.

A coordenadora de artesanato da Sethas, Salmira Torres, diz que a Famuse contribui para a divulgação e fortalecimento das tipologias da cadeia produtiva do artesanato do Seridó. “O evento valoriza o artesão para que ele se torne protagonista da sua própria arte”, acrescenta.

O artesanato da região vai ganhar novo fôlego após o registro do selo “Bordado de Caicó” no INPI. Bordadeiras de sete municípios do Seridó terão o selo após a finalização do processo no Instituto e poderão comercializar seus produtos com alto valor agregado. A Famuse segue até domingo na Ilha de Santana. A entrada é gratuita.

Crédito: João Bezerra Júnior – Assessor de Comunicação

A programação cultural da Festa de Sant’Ana de Currais Novos terá na noite desta quarta-feira, 18, um de seus eventos mais tradicionais: a Noite de Autógrafos, que acontecerá às 19h no auditório da CDL com a participação de escritores e artistas locais que irão lançar obras literárias sobre diversos temas. O evento é realizado pela Prefeitura Municipal de Currais Novos através da Fundação Cultural “José Bezerra Gomes” e tem como objetivo valorizar a produção literária local.

Serão lançados os livros: “Praça Cristo Rei – Foi aqui onde tudo começou” de Nesinho Avelino; “Os Direitos Constitucionais à água e ao desenvolvimento em um contexto de escassez no semiárido” de Fabiane Maria Dantas; “Nove Contos Serranos” de Wescley J. Gama; “O Ciclo das Coisas” de Maria Maria Gomes; “O Poder das Pedras e dos Cristais” de Eliene Fernandes; e “A Chegada de Severino Faca Cega no Inferno” (Cordel) de Kalyson Isaac Gomes de Medeiros.

 

Crédito das Fotos:  Henrique Bezerra

Odontólogo de formação desde 1988, com atuação no setor de Saúde da Assembleia Legislativa, Henrique Pereira Bezerra se encantou por uma atividade que desde 2006 completa seus dias de trabalho: a fotografia. E uma ‘residência fotográfica’ realizada nas pedreiras do município de Passa e Fica, na região Agreste do Rio Grande do Norte, já lhe rendeu algumas apresentações como uma exposição na Pedra da Boca e no Festival de Fotografias de Quixeramobim, no Ceará.

“A escolha pela fotografia foi para fazer uma atividade extra que me desse prazer”, disse Henrique, justificando a opção pelo que encara como um hobby. “A fotografia contemporânea vai além da imagem”, afirmou o dentista fotógrafo, explicando o estilo que escolheu para imprimir na sua arte.

E a arte do profissional da Saúde ganhará novo espaço para ser apreciado. De 6 a 13 de agosto, as fotos que registram as pedras e ferramentas que compõem as pedreiras de Passa e Fica, serão expostas no Salão Nobre da Assembleia Legislativa. A exposição “Ferramentas para ferir a pedra” conta com 20 fotografias que serão espalhadas pelo salão e poderão ser visitadas de segunda a sexta-feira, das 8 às 15 horas.

“A exposição ‘Ferramentas para ferir a pedra’ é o registro de uma conversa já antiga, há muito iniciada pelo ser humano, alimentada pelos poetas, pelos pensadores do espaço, pelos artistas. A pedra que fala mesmo sem linguagem humana”, explica Sofia Bauchwitz, curadora da apresentação, que ressaltou o direcionamento de Henrique Bezerra que pela fotografia de pedras e ferramentas, sem expor os trabalhadores das pedreiras. “Um esforço para chegar mais perto do não-humano e traduzir a experiência da terra, do pó, das horas que passam para todos”, disse Sofia.

(ASCOM – Reitoria/UFRN)

A Orquestra Potiguar de Clarinetas da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) está na cidade de Ostend, na Bélgica, onde participa do maior encontro de clarinetistas do mundo, o ClarinetFest 2018, e do 1º Festival Internacional de Corais de Clarinete Guido Six. Este é o segundo ano consecutivo em que o grupo está presente no evento, realizado em 2017 nos Estados Unidos, onde a orquestra potiguar foi a única representante brasileira. Neste ano, o Clarinet Fest acontece entre os dias 6 e 11 de julho.

Na última quarta-feira, 04, os músicos da UFRN tocaram com a Banda de Música da cidade de Zele (Bélgica) a composição nordestina “Suíte Pernambucana”, regidos pelo compositor, arranjador e clarinetista belga Bart Picqueur. O grupo participa nesta quinta-feira, 05, do 1º Festival Internacional de Corais de Clarinete Guido Six.

A Orquestra Potiguar de Clarinetas tem a característica de incluir em seu repertório os clássicos universais da música e também a música brasileira, que inclui cancioneiro popular e música autoral, com arranjos de música nordestina, choros, frevos e maracatu.

Crédito: Vlaudey Liberato

O Município de Lagoa Nova através da Secretaria Municipal de Educação e do Centro Rural Nazaré Xavier de Góis, promoveu o Projeto “Roda de Conversa: incentivo à Leitura” com o Editor José Xavier Cortez.

No evento, realizado no Centro Pastoral, muitas homenagens foram feitas ao Editor, que se emocionou e também falou sobre as obras feitas por sua editora.

O prefeito Luciano Santos esteve presente ao evento bastante prestigiado.

Por Isaiana Santos, Inter TV Costa Branca/(Foto: Reprodução/Inter TV Costa Branca )

O mês de junho é um período que resgata as tradições nordestinas. E pensando nisso, foi construída uma casa de taipa no Centro de Apodi, município da região Oeste potiguar. Feita de barro e madeira, o símbolo do sertão atrai moradores e visitantes para o local, que conta ainda com apresentações de violeiros.

A casa tem decoração simples, com objetos típicos do interior potiguar, como rede armada na sala, símbolos católicos, como terço e oratório, nas paredes e utensílios feitos de palha, barro e ferro. “Me traz lembranças boas da minha infância. Me criei em casa de taipa”, conta a dona de casa Estefânia Costa.

Mas para alguns a casa revela novidades. A estudante Monalise Araújo disse nunca ter visto alguns dos objetos encontrados na casa, como o pilão, que só conseguiu identificar com a ajuda de sua mãe, Antônia Geraldina. “Tinha pilão na casa da minha mãe. Pilei mungunzá e arroz”, conta a dona de casa.

E para embalar as noites ao redor da casa de taipa, a cantoria dos violeiros alegra o público com versos de rimas. O projeto foi idealizado por artistas locais e a prefeitura da cidade.

Crédito: João Bezerra Júnior – Assessor de Comunicação

 

Palácio de Esportes “Cortez Pereira” recebeu um grande público na noite desta quinta-feira (14) durante a abertura da 23ª edição do FORRONOVOS, o festejo junino de Currais Novos, que acontecerá até o próximo domingo, 17, com uma programação especial de apresentações no “Corredor Cultural Sanfoneiro Antoin Mé”, festival de quadrilhas, corrida de jegue e da Fogueira, além de shows no Largo do Coreto Guarany. Na abertura, o Prefeito Odon Jr acompanhado da secretária Ana Albuquerque (Turismo), do presidente da Fundação Cultural “José Bezerra Gomes”, Ronaldo Gomes, e da vereadora Zefinha Moura, destacou a importância do evento para a cidade. “Este é um evento genuinamente da nossa cidade que a Prefeitura tem buscado valorizar nossa cultura, nossos artistas e músicos”, disse o Prefeito Odon Jr. Secretários municipais, servidores e imprensa, também prestigiaram a abertura do FORRONOVOS.

Nesta primeira noite de evento, apresentações de grupos da APAE, Projeto AABB Comunidade – Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, Escola Municipal Professora Trindade Campelo, Creche Marilene Matias, grupos de Cerro Corá e Acari, dos artistas Lenilson e Cris Flores, além do concurso “Rainha e Rainha Mirim” do FORRONOVOS, onde foram eleitas as representantes da Escola Municipal de Nossa Senhora.  Confira a programação do FORRONOVOS 2018:

 

  • Sexta-Feira (15 de Junho)

– Apresentações no Palácio dos Esportes “Cortez Pereira” às 19h.

– Shows no Largo do Coreto Guarany a partir das 22h: Cebola Ralada e Robson Carneiro & Forró de Autoridade.

 

  • Sábado (16 de Junho)

– Corrida da Fogueira a partir das 15h, com Largada e Chegada em frente à Prefeitura Municipal.

– I Cão Drilhado (ONG Amigos de Chiquinho), no Corredor Cultural a partir das 16h.

– 19h, Palácio dos Esportes: Concurso de Quadrilha Junina categoria “Estilizada” com resultado e entrega de premiação.

– Shows no Largo do Coreto Guarany a partir das 22h: Giullian Monte e Musa da Balada.

 

  • Domingo (17 de Junho)

– Corrida de Jegue no Parque de Exposições “Dr. José Bezerra de Araújo” às 8h.

– 19h, no Palácio dos Esportes “Cortez Pereira”: Concurso de Quadrilha Junina categoria “Matuta” com resultado e entrega de premiação.

Crédito: G1 RN

Cena de “Um filme para Gerson” (Foto: Divulgação )

O Curta Caicó, festival de cinema do município da região Seridó potiguar, acontece a partir desta sexta-feira (1º) e segue até o domingo (3) no Centro Cultural Adjunto Dias. O evento é gratuito e tem como objetivo o resgate da sétima arte na região, que desde a década de 1990 não possui salas de cinema.

Em sua primeira edição, o “Curta Caicó” traz a exibição de mostras realizadas pelo Centro Cultural, Sesc e Casa de Cultura Popular, além do trabalho de produtores independentes. Entre as obras estão os curtas Vidas Cinzas do Rio de Janeiro, o pernambucano Cara de Rato e os potiguares O Espelho e Leningrado, Linha 41.

De acordo com a organização do evento, o Curta Caicó retoma a possibilidade de proporcionar as novas gerações o interesse pelo cinema, bem como resgatar do passado o sentimento nostálgico de amor à sétima arte. Confira abaixo a programação completa.

Cena da peça P`s, que virou filme e será exibido no Curta Caicó (Foto: Beatriz Alves )

Programação

Sexta (1º)

  • 8h – Banda de Música Recreio Caicoense
  • 19h– Abertura oficial
  • 19h30 às 22h – Mostras Competitivas Nacional e Potiguar
  • Vidas Cinzas (RJ)
  • Ultravioleta (PB)
  • Quando parei de me preocupar com canalhas (SP)
  • Aquela Rua tão Triunpho (SP)
  • O que teria acontecido ou não naquela calma e misteriosa tarde de domingo no jardim zoológico (RJ)
  • Cara de Rato (PE)
  • Em torno do Sol (RN)
  • O Espelho (RN)
  • Vitruviano e o Poema da Inerente Invisibilidade (RN)

Sábado (2)

  • 14h – Mostra SESC de cinema
  • Astrogildo e a Astronave (BA)
  • O Melhor Som do Mundo (SP)
  • Pedaços de Pássaros (PA)
  • Filhos da Lua na Terra do Sol (MT)
  • 15h às 16h30 – Mostras Competitivas Nacional e Potiguar
  • Esfera Máxima (MG)
  • Cabelo Bom (RJ)
  • O Menino do Dente de Ouro (RN)
  • Família Trope Trupe (RN)
  • 16h30 às 17h15– Painel: Produção audiovisual nas universidades – Coord. UERN
  • 19h– Lançamento do curta-metragem P´s (Cia Trapiá Teatral)
  • 19h30 às 22h – Mostras Competitivas Nacional e Potiguar
  • Par Perfeito (SC)
  • Minha Mãe, Minha Filha (SP)
  • O Vestido de Myriam (RJ)
  • Perambulação (GO)
  • Pulso (RJ)
  • Meu Colega de Quarto (RN)
  • Ainda não lhe fiz uma canção de amor (RN)
  • No Fim de Tudo (RN)

Domingo (3)

  • 09 às 12h– Oficina de Roteiro – Michelle Ferret
  • 10h às 12h– Fórum Audiovisual
  • 14h – Mostras Competitivas Nacional e Potiguar
  • Sudestinos (CE)
  • Um filme para Gerson (RJ)
  • Leningrado, Linha 41 (RN)
  • Vida Vaza (RN)
  • 15h30 às 17h – Painel: Mulheres no Audiovisual
  • 19h – Filmes Convidados
  • Sophia (PB)
  • Cabra de Peia (RN)
  • Exibição do curta-metragem produzido na oficina Cinemando
  • 20h às 22h – Encerramento e premiações

Serviço

Festival de cinema Curta Caicó

  • Data: 1º a 03/06/2018
  • Horário: a partir das 8h
  • Local: Centro Cultural Adjunto Dias, Rua José Hermínio, 1550, Caicó
  • Entrada gratuita
  • Informações: online através do Curta Caicó

Cena do curta “Leningrado, Linha 41” (Foto: Divulgação/Cine Verão )

Crédito: Paulo César Regis de Souza

Que o Brasil precisa de uma reforma à Previdência, no Ministério Fazenda, do porteiro ao ministro, todos foram convencidos pelo mercado.

O eixo da reforma deve ser a idade mínima e a bolha demográfica.

São nulas as chances de uma reforma da Previdência, como está proposta, dar certo.

O que foi apresentado ao país não resolve o problema da crise que é o financiamento dos dois principais regimes: RGPS e RPPS.

No RPPS, não há solução à vista para a crise da previdência da União e dos Estados. Os militares não vão querer pagar e a União não tem como pagar a contribuição patronal. Nos Estados e Municípios, o buraco é 10 vezes maior.

Nos dois casos terá que ser vetada a gestão de políticos.

No RGPS não há nenhum interesse do agronegócio, pecuaristas, exportadores e produtores rurais de pagar previdência para cobrir o rombo de R$ 150 bilhões do FUNRURAL. Hoje eles pagam 1,7%. Vão querer pagar 22%? Mesmo por um período limitado? Também não vai ser fácil zerar renúncias e desonerações e cortar os subsídios benefícios sem equivalência atuarial.

Considerando que a Receita, de impostos e tributos e a Previdência, de contribuições, tem a receber dívidas de R$ 3,6 trilhões, conforme dados oficiais do ex-ministro Meirelles, quase 50% do PIB, e que é notória a tendência de crescimento das “dívidas incobráveis” pela Receita Federal e pela Procuradoria Nacional da Fazenda, é bem provável que chegue a R$ 4 trilhões em 2019.

Em chegando a R$ 4 trilhões não haverá dinheiro para o Estado brasileiro cobrir os gastos obrigatórios e fazer investimentos. Não haverá ajuste fiscal.

Por que então se mudar a prioridade e fazer como Plano A a reforma tributária e fiscal?

Como transformar em dinheiro a cadeia de “dívidas incobráveis” (chamam de lixo tributário) e como impedir um novo ciclo desta “pirâmide fiscal”? Aliás, o nome de “dívida incobrável” agrada aos caloteiros de plantão.

O viés tributário do imposto declaratório precisa ter um basta. De cara, gera uma sonegação de 30% só na Previdência, mas em outros tributos e impostos, os 30% podem chegar até 50% ou mais. Como a sonegação não anda sozinha no que é declaratório, junto vem a evasão, elisão e brechas legais.

Não é sem razão que há milhões de ações fiscais que tramitam na República, dos municípios, estados e União. São milhares de escritórios de advocacia e de empresas de contadores procurando uma brecha, um espaço, um artigo, uma alínea, um parágrafo, uma letra, uma vírgula, para entrar com uma ação e sobrestar o pagamento. Brasília, até o liminar do século XXI, não tinha tantos escritórios de advocacia. Hoje só perde para as farmácias e lanchonetes.

Junto com a reforma fiscal, já em 2019, estaria morto o REFIS. Na Previdência seriam sepultadas as renúncias e as desonerações das contribuições.

Uma ação fiscal poderia ser desencadeada com grande estardalhaço: sonegação zero. Empresa limpa, nada de dívida, os passivos seriam eliminados. Seria uma mudança cultural, a mais difícil de todas as mudanças. Acabar com sonegador é tão difícil quanto prender traficante.

A reforma tributária colocaria 100% da arrecadação na fonte.

Isto poderia ser feito? Pode, na reforma tributária, por exemplo, com a criação do Imposto sobre operações financeiras, de fonte, com uma alíquota que cobriria os impostos e contribuições declaratórias.

Uma medida burocrática impediria que um devedor profissional pudesse operar novo CGC, como seu CPF… Para limpar o CPF teria que pagar o que deve.

Seria uma forma simplória de acabar com o lixo das “dívidas incobráveis”.

Teria efeito fulminante na fiscalização a Receita e burocracia da PGFN, hoje a mais inútil forma de arrecadar contribuições com uma recuperação de crédito com o selo ISSO de incompetência.

No INSS, 70% da receita é de fonte. Por que não chega a 100%?

Tudo é uma questão de se querer resolver.

Na Espanha uma solução simples chegou aos 100%. O empresário não recolheu, vai uma guia para a empresa para pagamento. Se não pagar faz-se a execução sem liminar.

No RGPS algo poderá ser feito também, como acabar com os benefícios sem contribuição e/ou com contribuição subsidiada. Poderia até estabelecer um elo vinculante que o benefício será igualmente reduzido à relação atuarial da contribuição. É uma solução técnica, sustentável, coerente.

Fazer reforma e deixar o financiamento como está é dar asas as cobras criadas na Receita e na PGFN.

Crédito Vlaudey Liberato/foto: Jornal da Serra

Prefeitura Municipal de Lagoa Nova/RN, em parceria com a Paróquia São Francisco de Assis, realiza a 63ª Festa do Agricultor, que se realizará no período de 22 a 27 de maio. A tradicional festa, por décadas, é um evento voltado ao Trabalhador Rural.

A Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento e Pecuária, durante todo o evento, estará promovendo diversas Palestras, dentre elas se destacam: Criação e manejo de aves caipiras, Nutrição de gado de leiteiro, Prevenção da Tuberculose e Brucelose em bovinos, Manejo de pragas e doenças que afetam o Maracujá; e Curso de Meliponicultura.

ATENÇÃO

“O Prefeito Luciano Santos nos cobra atenção constante ao homem do campo. Em especial, todo nosso esforço para qualificar ainda mais o agricultor e criadores, pois só assim conseguiremos garantir a qualidade da nossa matéria prima”, frisou o Secretário Genilson Pinheiro Borges.