Conheça um pouco da vida de Raul Seixas

Posted on ago 21, 2014 in Cultura

Raul e Vivi Seixas a filha caçula - fotografia.folha.uol.com.br

Raul Santos Seixas (Salvador28 de junho de 1945 — São Paulo21 de agosto de 1989) foi um cantor e compositor brasileiro, frequentemente considerado um dos pioneiros do rock brasileiro. Também foi produtor musical da CBS durante sua estada no Rio de Janeiro, e por vezes é chamado de “Pai do Rock Brasileiro” e “Maluco Beleza”. Sua obra musical é composta por 17 discoslançados em seus 26 anos de carreira e seu estilo musical é tradicionalmente classificado como rock e baião, e de fato conseguiu unir ambos os gêneros em músicas como “Let Me Sing, Let Me SingSeu álbum de estreia, Raulzito e os Panteras (1968), foi produzido quando ele integrava o grupo Os Panteras, mas só ganhou notoriedade crítica e de público com as músicas de Krig-ha, Bandolo! (1973), como “Ouro de Tolo“, “Mosca na Sopa“, “Metamorfose Ambulante“. Raul Seixas adquiriu um estilo musical que o creditou de “contestador e místico”, e isso se deve aos ideais que vindicou, como a Sociedade Alternativa apresentada em Gita(1974), influenciado por figuras como o ocultista britânico Aleister Crowley.

Raul se interessava por filosofia (principalmente metafísica e ontologia), psicologiahistórialiteratura e latim e algumas crenças dessas correntes foram muito aproveitadas em sua obra, que possuía uma recepção boa ou de curiosidade por conta disso.6 Ele conseguiu gozar de uma audiência relativamente alta durante sua vida, e mesmo nos anos 80 continuou produzindo álbuns que venderam bem, como Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum! (1987) e A Panela do Diabo (1989), esse último em parceria com Marcelo Nova, e sua obra musical tem aumentado continuamente de tamanho, na medida em que seus discos (principalmente álbuns póstumos) continuam a ser vendidos, tornando-o um símbolo do rock do país e um dos artistas mais cultuados e queridos entre os fãs nos últimos quarenta anos. Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Raul Seixas figurando a posição 19ª7 , encabeçando nomes como Milton NascimentoMaria BethâniaHeitor Villa-Lobos e outros. No ano anterior, a mesma revista promoveu a Lista dos Cem Maiores Discos da Música Brasileira, onde dois de seus álbuns apareceram Krig-ha, Bandolo! de 1973 atingiu a 12ª posição e Novo Aeon ficou em 53º lugar ,8 demonstrando que o vigor musical de Raul Seixas continua a ser considerado importante hoje em dia.

Raul Santos Seixas nasceu às 8 horas da manhã em 28 de Junho de 1945 numa família de classe média baiana que vivia na Avenida Sete de Setembro, Salvador. Seu pai, Raul Varella Seixas, era engenheiro da estrada de ferro e sua mãe, Maria Eugênia Santos Seixas, se dedicava às atividades domésticas. No próximo mês ele foi registrado no Cartório de Registro Civil de Salvador com o nome do pai e do avô paterno. Em 16 de setembro do mesmo ano, batizaram-no na Igreja Matriz da Boa Viagem. Em 4 de dezembro de 1948, Raul Seixas ganhou um irmão, o único, Plínio Santos Seixas, com quem teria um bom relacionamento durante sua infância.10 Os estudos de Raul Seixas começaram em 1952, onde frequentou o curso primário estudando com a professora Sônia Bahia Concluído o curso em 1956, fundou o Club dos Cigarros com alguns amigos. O trágico percurso escolar de Raul Seixas se iniciaria em 1957, quando ele ingressou no ginásio Colégio São Bento, onde foi reprovado na 2ª série por três anos. Um dos motivos da reprovação, segundo alguns biógrafos, é que ele, em vez de ir assistir as aulas, ouvia rock and roll — em seus primórdios — na loja Cantinho da Música. No mesmo ano, em 13 de Julho, Raul Seixas fundou o Elvis Rock Club com o amigo Waldir Serrão. Segundo a jornalista Ana Maria Bahiana, é através de Serrão que Raul Seixas começou a sair de casa e a manter uma vida social mais ampla. Segundo Raul, o encontro com Waldir foi fantástico: “me preparei todo, botei a gola pra cima, botei o topete, engomei o cabelo, e fiquei esperando ele, mascando chiclete“. O Elvis Rock Club era como uma gangue, que procurava brigas na rua, fazia arruaça, roubava bugigangas e quebrava vidraças. Embora Raul não gostasse muito disso, “ia na onda, pois o rock (pelo menos a meu ver) tinha toda uma maneira de ser”.

Então, a família resolveu matricular Raul num colégio de padres, o Colégio Interno Marista, onde ele alcançou a 3ª série em 1960, mas acabou repetindo o estágio em 1961.  Ao que tudo indica, nessa época Raul Seixas começou a se interessar pela leitura. O pai de Raul Seixas amava os livros e possuía uma vasta biblioteca em casa. Tão logo decifrou o mistério das letras, o garoto pôs-se a ler os volumes que encontrava na biblioteca do pai Raul. Sendo assim, as histórias que lia na biblioteca fermentavam sua imaginação e, com os cadernos do colégio, fazia desenhos, criava personagens, enredos, para depois vender ao irmão quatro anos mais novo, que acabava ficando interessado e comprava os esboços. Segundo Raul, um dos personagens principais dessas histórias era um cientista maluco chamado “Mêlo” (algo como “amalucado”), que viajava para diversos lugares imáginarios como o Nada, o Tudo, Vírgula Xis Ao Cubo, Oceanos de Cores.  Segundo Raul, Melô era sua “outra parte, a que buscava as respostas, o eu fantástico, viajando fora da lógica em uma maquinazinha em que só cabia um só passageiro… Melô-eu.” Plínio ficava horas ouvindo o irmão contar suas histórias, dentro do quarto dos dois, e Raul frequentemente encenava os personagens como um ator. Ambos os irmãos tinham algo em comum: adoravam literatura, mas odiavam a escola. Mais tarde, já maduro, Raul Seixas diria: “Eu era um fracasso na escola. A escola não me dizia nada do que eu queria saber. Tudo o que aprendia era nos livros, em casa ou na rua. Repeti cinco vezes a segunda série do ginásio. Nunca aprendi nada na escola. Minto. Aprendi a odiá-la.” De um modo ou de outro, Raul Seixas precisava frequentar a escola vez ou outra. Em uma determinada ocasião, o pai perguntou a Raul como ele ia na escola e pediu seu boletim. Raul mostrou um boletim falsificado, com todas as matérias resultando em um 10. O pai questionava se ele havia estudado, mas Maria Eugênia interrompia, dizendo algo como “Estudou nada, ficou aí ouvindo rock o tempo inteiro, essa porcaria desse béngue-béngue, de élvis préji, de líri ríchi e gritando essas maluquices.” Os pais de Raul, como toda a geração da época, estranhavam o rock e ele não era muito bem-vindo entre as famílias.

Embora Raul mantivesse um gosto muito sincero pela música, seu sonho maior era ser escritor como Jorge Amado. Na sua cidade, escutavam Luiz Gonzaga todos os dias, nas praças, nas casas, em todos os estabelecimentos. Enquanto isso, Raul junta-se a cena do Rock que se formava em Salvador. “Em 54/55, ninguém sabia o que era rock. Eu tocava e me atirava no chão imitando Little Richard.”  Com o passar do tempo, a banda que chegou a ter diversos nomes, como Relampagos do Rock, formadas então pelos irmãos Délcio e Thildo Gama, passa por várias formações e em 1963, passa a se chamar The Panters, banda que agora já se tornara sensação de Salvador. A fama se espalha, e a banda é rebatizada pelo nome Os Panteras, tendo em sua formação definitiva além de Raulzito, os integrantes Mariano Lanat, Eládio Gilbraz e Carleba. Em 1967, Raul Seixas começa um relacionamento com Edith Wisner, filha de um pastor protestante americano. O pai de Edith não aceita o namoro da filha. Em seis meses, completa o segundo grau, faz cursinho pré-vestibular e passa em Direito, Psicologia e Filosofia. Com isso, casa-se com Edith. Logo em seguida, abandona os estudos, volta a reunir os Panteras e aceita o convite de Jerry Adriani para ir para o Rio de Janeiro.

Em 1968, Raulzito e Os Panteras gravam seu primeiro e único Disco, Raulzito e Os Panteras. Assinando contrato com a gravadora EMI-Odeon, após encontrarem Chico Anysio e o rei Roberto Carlos, que os reconheceu nos corredores de uma grande gravadora. O Disco no entanto não teria sucesso de critica nem de público. Eládio Gilbraz, um dos panteras, diria: “De um lado havia a inexperiência de quatro rapazes, recém-chegados da Bahia, falando em qualidade musical, agnosticismo, mudança de conceitos e sonhos. Do outro lado, uma multinacional que só falava em “comercial”. Talvez não tenha sido o disco que o grupo imaginara, mas nosso sonho era gravar um disco. A partir daí, Raulzito e Os Panteras passariam sérias dificuldades no Rio de Janeiro. Raul morava em Ipanema, e ia a pé até o centro da cidade para tentar divulgar suas músicas, não obtendo sucesso. Algumas vezes os Panteras recebiam ajuda de Jerry Adriani, tocando como banda de apoio, o que, segundo o próprio Raul, lhe deu muita experiência e lhe ajudou a descobrir como se comunicar, pois suas “músicas eram muito herméticas”. Raulzito passaria então fome no Rio de Janeiro  (como mais tarde escreveria em Ouro de Tolo).

Raul Seixas estava totalmente abalado pelo fracasso com Os Panteras, e a sua volta a Salvador. Escrevia ele: “Passava o dia inteiro trancado no quarto lendo filosofia, só com uma luz bem fraquinha, o que acabou me estragando a vista [...] Eu comprei uma motocicleta e fazia loucuras pela rua.”  No entanto a sorte começaria a mudar, um dia, conhece na Bahia um diretor da CBS Discos. Mais tarde ele convidaria Raul para ser produtor da gravadora. Sem pensar duas vezes, ele faz as malas, junto a Edith, e volta para o Rio. Raul volta ao Rio para usar seus enciclopédicos conhecimentos de música como produtor fonográfico. Nos cadernos de composições de Raul começaria a ser alimentada uma revolução. Esta seria a segunda chance de Raul, apostando no talento do amigo, Jerry Adriani convence o então presidente da CBS, Evandro Ribeiro, a dar a Raulzito um emprego de produtor. Raulzito trabalhou anonimamente por um bom tempo.

Raul após ter entrado na CBS, fez grandes aliados e amigos. Ainda em 1968, a dupla Os Jovens e a banda The Sunshines apostaram em suas letras. No entanto, Raul faria um grande amigo e parceiro: Leno, da dupla Leno e Lilian. “Raulzito sempre esteve 20 anos adiante de seu tempo e Leno o compreendia; na verdade, sempre houve uma grande admiração mútua”. Diria Arlindo Coutinho, da relações públicas da CBS. Em seu compacto duplo Papel Picado, lançado em 1969, Leno registrou Um Minuto Mais, versão de Raulzito para I Will (nada a ver com a canção de Paul McCartney). Também não se pode esquecer de Mauro Motta, outro grande parceiro de Raul nesta fase. Jerry Adriani decide convocar Raulzito para ser o produtor de seus discos. No álbum de 1969, aproveitou para gravar uma de suas músicas, Tudo Que É Bom Dura Pouco. Naquela mesma época, outros ídolos da Jovem Guarda também apadrinharam Raulzito gravando suas letras como Ed WilsonRenato e seus Blue CapsJerry AdrianiOdair José. O ano de 1970 marcou o início de uma fase muito ativa na carreira de Raulzito, como produtor da CBS. Primeiramente, suas composições passaram a ser gravadas pelos artistas do cast da gravadora. Passou o ano produzindo discos para Tony & Frankye, Osvaldo Nunes, Jerry Adriani, Edy Star e Diana, além de escrever uma quantidade enorme de músicas para os colegas da gravadora. Algumas de muito sucesso, como Doce doce amor (Jerry Adriani), Ainda Queima a Esperança (Diana) e Se ainda existe amor (Balthazar). Raulzito nessa época passa a ter um bom emprego de respeitado produtor, que conseguira lançar suas composições como Hits na voz de outros cantores e produzir grandes artistas. Mas, Raulzito não se conformava apenas com isso, ainda mais quando conheceu o amigo e parceiro Sérgio Sampaio, passando cada vez mais a realimentar os sonhos de quando ainda morava em Salvador, que era ser um cantor. Ao lado de Leno, Raulzito participa do disco Vida e Obra de Johnny McCartney, disco solo de Leno, em que ambos buscam novos caminhos e experimentações. Juntos assinam letras e composições em parcerias. Foi o primeiro Lp gravado em oito canais no Brasil. As letras do disco foram censuradas que acabou não sendo lançado na época.

Outro projeto mal sucedido seria o LP Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10, lançado em 1971, com a parceria de Sérgio SampaioMiriam Batucada eEdy Star, onde Raul Seixas deu inicio a produção de um projeto de ópera-rock, tendo as letras mutiladas pela censura do Regime Militar. O Sociedade Grã Ordem Kavernista era um disco Anarquico, inspirado em Frank Zappa e o então cultuado Disco Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band dos Beatles misturado a elementos brasileiros, como samba, chorinho, baião. Quando lançado, o disco não obteve sucesso de público e nem de crítica. Foi abandonado à própria sorte até mesmo pela gravadora, cujos executivos tanto no Brasil como na matriz, nos Estados Unidos não gostaram do resultado final. Com isso, não houve investimento em divulgação do trabalho nas rádios e programas musicais da época. Muitas lendas cercam esse disco que traz 11 faixas intercaladas por vinhetas. A principal delas diz que Raul, Sérgio, Edy e Míriam gravaram as músicas às escondidas, à noite, sem que ninguém na CBS soubesse e que por esse motivo, Raul Seixas, então um bem-sucedido produtor da gravadora, teria sido demitido. No entanto, segundo Edy Star, único sobrevivente dos quatro artistas, o trabalho foi profissional e feito com o conhecimento da gravadora. E Raul não foi demitido. Tanto que no ano seguinte, em 1972, produziu o compacto Diabo no Corpo, de Míriam Batucada, e o LP de estreia da cantora Diana, na própria CBS. Raul só saiu da gravadora meses depois desse último trabalho, sendo contratado pela RCA Victor.

Em 1972, Raul Seixas decide participar do Festival Internacional da Canção, sendo convencido por Sérgio Sampaio. O cantor compõe duas músicas, “Let Me Sing, Let Me Sing”, defendida pelo próprio Raul e “Eu Sou Eu e Nicuri é o Diabo”, defendida por Lena Rios & Os Lobos. Ambas chegam a final, obtendo sucesso de critica e de público. Rapidamente, Raul foi contratado pela gravadora Philips. Na época, ele também se interessa por um artigo sobre extraterrestres publicado na revista A Pomba e tem o seu primeiro contato com o escritor Paulo Coelho, que mais tarde, se tornaria seu parceiro musical.

No ano de 1973, Raul consegue um grande sucesso com a música “Ouro de Tolo” no álbum Krig-ha, Bandolo!. A música possui uma letra quase autobiográfica, mas que também debocha da Ditadura e do “Milagre Econômico“. O mesmo LP, continha outras músicas que se tornaram grandes sucessos, como: “Metamorfose Ambulante”, “Mosca na Sopa” e “Al Capone”. Raul Seixas finalmente alcança grande repercussão nacional, graças a divulgação da imagem do cantor como ícone popular. Porém, logo a imprensa e os fãs da época, foram aos poucos percebendo que Raul não era apenas um cantor e compositor.

Ainda em 1973, Raul resolve homenagear algumas músicas clássicas do rock americano e brasileiro no disco Os 24 Maiores Sucessos da Era do Rock. Raul foi, no entanto, proibido pela gravadora de assinar seu nome no disco de covers, pois ela achou que o álbum poderia prejudicar as vendas de Krig-ha, Bandolo!. A solução foi creditar o álbum a uma certa banda chamada Rock Generation, com o nome de Raul presente apenas na contracapa, como diretor de produção. O álbum não teve qualquer tipo de divulgação e acabou inicialmente sendo esquecido nas lojas, porém com os sucessos posteriores de Raul, alcançando grandes vendagens, a gravadora Philips acabou por divulgar melhor o trabalho.

No ano de 1974, Raul Seixas e Paulo Coelho criam a Sociedade Alternativa, uma sociedade baseada nos preceitos do bruxo inglês Aleister Crowley, praticamente repetindo o chamado Livro da Lei. O cantor foi levado pelo escritor a conhecer uma ordem filosófica baseada na Lei de Thelema, desenvolvida por Crowley. A Sociedade Alternativa, com sede alugada, papel timbrado e relatórios mensais, chegou a anunciar a aquisição de um terreno em Minas Gerais, para a construção da Cidade das Estrelas, uma comunidade onde a única lei era: “Faz o que tu queres, há de ser tudo da lei.” Em todos os seus shows, Raul divulgava a Sociedade Alternativa com a música de mesmo nome. A obsessão de Raul Seixas e Paulo Coelho em construir “uma verdadeira civilização thelêmica”, evidentemente, trouxe problemas com a Censura. A letra da música “Como Vovó já Dizia” composta pelos dois, teve de ser mudada. Logo no show de lançamento, a polícia apreendeu o gibi/manifesto “A Fundação de Krig-Ha” e o queimou como material subversivo. A Ditadura, então, através do DOPS (Departamento de Ordem Política e Social) prendeu Raul e Paulo, pensando que a Sociedade Alternativa fosse um movimento armado contra o governo.34

Depois de torturados, Raul e Paulo foram exilados para os Estados Unidos, com suas respectivas esposas, Edith Wisner e Adalgisa Rios. Muitas histórias são contadas sobre a estadia de Raul Seixas nos Estados Unidos, como seu encontro com John Lennon, mas ninguém sabe ao certo se são verdadeiras. No entanto, o LP Gita gravado poucos meses antes faz tanto sucesso, que forçou a Ditadura a trazê-los de volta para o Brasil. O álbum Gita rendeu à Raul um disco de ouro, após vender 600.000 cópias, sendo considerado o LP de maior sucesso de sua carreira. Ainda neste ano, Raul separa-se de Edith, que vai para os Estados Unidos com a filha do casal, Simone.

Em 1975, Raul Seixas casa-se com Glória Vaquer, e grava o LP Novo Aeon, onde compôs junto com Paulo Coelho, uma de suas músicas mais conhecidas, “Tente Outra Vez“, que seria creditada juntamente com Marcelo Motta, por quem eram discipulados na Astrum Argentum (AA). O LP, porém, vendeu menos de 60 mil cópias. Ainda em 1975, Raul lê um manifesto e canta a Sociedade Alternativa no documentário Ritmo Alucinante, que foi um festival de rock realizado no Rio de Janeiro, gravado no álbum Hollywood Rock, lançado no mesmo ano. Em 1976, Raul supera a má-vendagem do disco Novo Aeon com o álbum Há Dez Mil Anos Atrás. Neste mesmo ano, nasce sua segunda filha, Scarlet. Chega então ao fim, o seu contrato com a gravadora Philips e sua parceria com Paulo Coelho, embora continuassem amigos (ou inimigos íntimos).

Jay Vaquer, músico e cunhado de Raul na época, coletou material para fazer um novo disco, Raul Rock Seixas, que diziam ser um álbum feito de resto de gravações, mas na verdade a história era outra. Raul escolheu as músicas, e Jay começou a fazer os arranjos. Porém, antes de Raul Seixas e Jay Vaquer terminarem de mixá-lo devido à suas ausências por causa dos shows, a Philips lançou o disco sem avisá-los, sob o selo da Fontana/Phonogram, mixando-o por conta própria. Segundo Jay Vaquer, isso prejudicou o trabalho que ambos haviam planejado anteriormente, destruindo o LP, porque finalmente seu nome estava num LP de Raul como produtor, arranjador, e guitarrista, e seu trabalho foi muito mal representado.

Em 1977, nasce no Brasil uma nova gravadora, a WEA, que se interessa em contratar Raul Seixas. Por volta deste período, intensifica-se a parceria com o amigo Cláudio Roberto, com quem Raul compôs várias de suas canções mais conhecidas. Juntos, realizaram o LP O Dia Em Que A Terra Parou. A crítica não gostou. Foi dito que não mantinha o mesmo nível dos trabalhos anteriores. Mas os fãs se deliciam com “Maluco Beleza”, “Sapato 36” e a faixa-título.

Naquele final de década as coisas começaram a ficar ruins para Raul. A partir do ano de 1978, começa a ter problemas de saúde devido ao alcoolismo lhe causando a perda de 1/3 do pâncreas. Raul passa alguns meses numa fazenda na Bahia, para se recuperar da pancreatite.  Ele separe-se de Glória, que, assim como Edith, também voltou aos Estados Unidos, levando a filha Scarlet. Neste ano, conhece Tania Menna Barreto, com quem passa a viver. Lança o LP Mata Virgem que conta com a volta de Paulo Coelho, porém, ambos chegam a conclusão, de que essa parceria já não tinha mais como dar certo. Além disso, a má divulgação atrapalhou as vendas do disco e a crítica também não ajudou.

No ano de 1979, Raul separa-se de Tania. Começa então, a depressão de Raul Seixas junto com uma internação para tratar do alcoolismo. Conhece Angela Affonso Costa, a Kika Seixas, sua quarta companheira. Lança seu último LP com a WEAPor Quem os Sinos Dobram, em parceria com o amigo Oscar Rasmussen e logo após, rescinde o contrato com a gravadora.

Altos e baixos

Em 1980, assina novamente contrato com a CBS (desta vez como cantor) lançando mais um álbum, Abre-te Sésamo, que contém outros sucessos e têm as faixas “Rock das Aranha” e “Aluga-se” censuradas. Logo depois, o contrato é rescindido. Em 1981, nasce a terceira filha, Vivian, fruto de seu casamento com Kika. Em 1982, faz um show na praia do Gonzaga, em Santos, reunindo mais de 150 mil pessoas. No mesmo ano, Raul apresenta-se bêbado em CaieirasSão Paulo, e é quase linchado pela platéia que não acredita que Raul é o próprio, mas um impostor. Desde 1980, Raul estava sem gravadora e agora também sem perspectiva de um novo contrato. Mergulhado na depressão, Raul afunda-se nas drogas. Porém, em 1983, Raul é convidado para gravar um disco pelo Estúdio Eldorado. Logo depois, Raul é convidado para gravar o especial infantil Plunct, Plact, Zuuum da Rede Globo, onde canta a música “Carimbador Maluco”. O álbum Raul Seixas (1983), que continha a canção, dá à Raul mais um disco de ouro. Em 1984, grava o LP “Metrô Linha 743” pela gravadora Som Livre. Mas depois, Raul teve as portas fechadas novamente, devido ao seu consumo excessivo de álcool e constantes internações para desintoxicação. Também em 1984, a Eldorado lança o disco Ao Vivo – Único e Exclusivo.

Em 1985, separa-se de Kika Seixas. Faz um show em 1 de dezembro 1985, no Estádio Lauro Gomes, na cidade de São Caetano do Sul. Só voltaria a pisar no palco no ano de1988, ao lado de Marcelo Nova. Conseguindo um contrato com a gravadora Copacabana, em 1986 (de propriedade da EMI), grava um disco que foi lançado somente no ano seguinte, devido ao alcoolismo de Raul. O disco Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum! faz grande sucesso entre os fãs, chegando a ganhar disco de ouro e estando presente até em programas de televisão, como o Fantástico. Nesta época, conhece Lena Coutinho, que se torna sua companheira. A partir desse ano, estreita relações com Marcelo Nova (fazendo uma participação no disco Duplo Sentido, da banda Camisa de Vênus). Um ano mais tarde, 1988, já separado de Lena, faz seu último álbum solo, A Pedra do Gênesis. A convite de Marcelo Nova, faz alguns shows em Salvador, após três anos sem pisar num palco. No ano de 1989, faz uma turnê com Marcelo Nova, agora parceiro musical, totalizando 50 apresentações pelo Brasil. Durante os shows, Raul mostra-se debilitado. Tanto que só participa de metade do show, a primeira metade é feita somente por Marcelo Nova.

Morte

As 50 apresentações pelo Brasil resultaram naquele que seria o último disco lançado em vida por Raul Seixas. O disco foi intitulado de A Panela do Diabo, que foi lançado pela Warner Music Brasil no dia 22 de agosto de 1989. Na manhã do dia 21 de agosto, Raul Seixas foi encontrado morto sobre a cama , por volta das oito horas da manhã em seu apartamento em São Paulo, vítima de uma parada cardíaca: seu alcoolismo, agravado pelo fato de ser diabético, e por não ter tomado insulina na noite anterior, causaram-lhe uma pancreatite aguda fulminante. O LP A Panela do Diabo vendeu 150.000 cópias, rendendo a Raul um disco de ouro póstumo, entregue à sua família e também a Marcelo Nova, tornando-se assim um dos discos de maior sucesso de sua carreira. Raul foi velado pelo resto do dia no Palácio das Convenções do Anhembi. No dia seguinte seu corpo foi levado por via aérea até Salvador e sepultado às 17 horas, no Cemitério Jardim da Saudade.43 44

Após a morte

Depois de sua morte, Raul permaneceu entre as paradas de sucesso. Foram produzidos vários álbuns póstumos, como O Baú do Raul (1992), Raul Vivo (1993 – Eldorado), Se o Rádio não Toca… (1994 – Eldorado) e Documento (1998). Inúmeras coletâneas também foram lançadas, como Os Grandes Sucessos de Raul Seixas de (1993), a grande maioria sem novidades, mas algumas com músicas inéditas como As Profecias (com uma versão ao vivo de “Rock das Aranhas”) de 1991 e Anarkilópolis (com “Cowboy Fora da Lei Nº2″) de 2003. Sua penúltima mulher, Kika, já produziu um livro do cantor (O Baú do Raul), baseado em escritos dos diários de Raul Seixas desde os seis anos de idade até a sua morte. Em 2004, o canal a cabo Multishow promoveu um show especial de tributo a Raul, intitulado O Baú do Raul: Uma Homenagem a Raul Seixas. O show, gravado na Fundição Progresso (Rio de Janeiro) e lançado em CD e DVD, contou com artistas como Toni GarridoCPM 22Marcelo D2Gabriel o PensadorArnaldo BrandãoRaimundosNasi,Caetano VelosoPitty e Marcelo Nova (os três últimos baianos, como Raul). Mesmo depois de sua morte, Raul Seixas continua fazendo sucesso entre novas gerações. Vinte anos depois de sua morte, o produtor musical Mazzola, amigo pessoal de Raul, divulgou a canção inédita “Gospel”, censurada na década de 1970. A canção foi incluída na trilha sonora da telenovela Viver a Vida, da Rede Globo. Em 2013, o cantor americano Bruce Springsteen cantou Sociedade Alternativa.

Radio Nova Era 2014

25 anos sem Raul Seixas o rei do rock nacional

Posted on ago 21, 2014 in Acontecimentos

Raul seixas - www.oesquema.com.br

Hoje (21), é dia de relembrar Raul Seixas, um dos maiores ícones da história do rock nacional. Lá se vão 25 anos sem o Maluco Beleza, 25 anos do fim de uma vida marcada pela subversão, pela recusa aos padrões e rebeldia.

Raulzito teve uma carreira que oscilou entre o sucesso e a lama, a fama e o ostracismo. Entre um hit e outro,Raul Seixas lia sobre discos-voadores, participava de sociedades alternativas e conspirava contra o sistema. Despontou na música nos anos de chumbo, flertando com o perigo, teve músicas censuradas, foi torturado e exilado. Morreu em 21 de agosto de 1989, vítima de de pancreatite aguda, causada pelo excesso de bebida.

JORNAL

Greve no TRE, TRT e Justiça Federal inicia nesta quinta

Posted on ago 21, 2014 in Acontecimentos

greve - foto divulgação

A greve por tempo indeterminado dos servidores do Judiciário Federal no Rio Grande do Norte inicia-se nesta quinta-feira, a partir das 9 horas da manhã, com concentração em frente ao prédio do Tribunal Regional Eleitoral, na Praça André de Albuquerque, no centro da cidade de Natal.

A paralisação foi definida em assembleia realizada sexta-feira (15) durante o Apagão Geral da categoria. A reivindicação é pela inclusão do orçamento que contempla o reajuste da categoria na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que deve ser aprovada pelo Executivo até 31 de agosto, prazo que a Presidência da República deve enviar ao Congresso a proposta orçamentária da União para o próximo ano.

A greve no Rio Grande do Norte fortalece a luta nacional dos servidores do Judiciário Federal pela reposição das perdas salariais dos últimos oito anos. O Distrito Federal e os Estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso, Bahia e Rio de Janeiro já estão em greve. Piauí para na próxima segunda-feira (25) e os demais estão se organizando para também cruzar os braços.

O Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Rio Grande do Norte (Sintrajurn), formado pelos servidores do Tribunal Regional Eleitoral, Tribunal Regional do Trabalho e Justiça Federal, defende a pressão contínua e intensa para que o Supremo Tribunal Federal assuma o papel, enquanto maior instância do Poder Judiciário, e atue na defesa e pela aprovação do reajuste, enfrentando a decisão do governo Dilma de não negociar qualquer proposta salarial.

Starconect

Posto “José Vilani” realizará atendimentos em nova sede a partir da próxima segunda-feira, 25

Posted on ago 21, 2014 in Cidade

 

Atendimento Posto José Vilani 01

Os atendimentos à população do bairro Parque Dourado e adjacências que são referenciados para a Unidade Básica de Saúde “José Vilani”, até então funcionando na sede da Policlínica “Monsenhor Ausônio Araújo”, serão transferidos para a nova sede do posto, que será instalado na rua Prefeito Mariano Guimarães, nº 300, próximo à Capela de Santa Clara, na próxima segunda-feira (25). De acordo com a coordenação de atenção básica de saúde do município, os atendimentos à população referenciada pelo Posto estão suspensos nesta quinta e sexta-feira devido a mudança para a nova sede. “Procuramos um novo espaço que oferecesse à população maior comodidade e contribuísse com os nossos serviços de saúde”, disse o coordenador da atenção básica, o enfermeiro Hitley Franklin.

Radio Nova Era 2014

Em parceria com a Prefeitura, Ministério do Trabalho realizará workshop sobre rotinas trabalhistas e normas de segurança

Posted on ago 21, 2014 in Cidade

O Ministério do Trabalho e Emprego em parceria com a Prefeitura Municipal de Currais Novos e Sindicato dos Comerciários do município realizará no próximo dia 29 de agosto, no auditório do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte – IFRN/Campus Currais Novos, workshop e minicurso de rotinas trabalhistas e normas de segurança do trabalho. O evento acontecerá a partir das 8h e terá como público alvo os empresários, contadores, gestores de recursos humanos, gerentes, sindicalistas, entre outros profissionais envolvidos na área trabalhista. O encontro terá a participação dos palestrantes Moizes Martins Junior, auditor fiscal do trabalho, médico, especialista em medicina do trabalho e segurança no trabalho; e de Luiz Antonio de Medeiros Araújo, auditor fiscal do trabalho, advogado, especialista em legislação do trabalho. As inscrições podem ser realizadas através do e-mail cleonir.botelho@mte.gov.br, e mais informações sobre o evento pelo telefone (84) 9908-2685.

Será oferecido aos participantes certificados, coffee break, almoço com musica ao vivo (atração Saxofonista Carlos Guedes), happy hour com música ao vivo (atração Agnelo Junior) além da participação de empreendedores com stands de serviços de beleza e degustação de alguns produtos alimentícios.

PIANO

Conselho de Ética da Câmara aprova cassação do deputado André Vargas

Posted on ago 20, 2014 in Política

André Vargas - foto Laycer Tomas

Os membros do Conselho de Ética da Câmara articularam a indicação de última hora de dois parlamentares e conseguiram aprovar a cassação do deputado André Vargas (sem partido-PR). Ex-petista, Vargas é acusado de envolvimento com o doleiro Alberto Youssef, preso pela Polícia Federal no âmbito da operação Lava Jato, que investiga um esquema de lavagem de dinheiro suspeito de movimentar cerca de R$ 10 bilhões.

Para ser confirmada, a perda de mandato de Vargas precisará ainda ser votada pelo plenário da Casa, mas parlamentares consideram improvável que isso aconteça antes das eleições. O ex-petista não compareceu à reunião da tarde desta quarta-feira.

 
Sem quórum para deliberar sobre o relatório que recomendava a perda do mandato de Vargas, o relator Júlio Delgado (PSB-MG) e o presidente Ricardo Izar (PSD-SP) mobilizaram a nomeação de novos conselheiros para garantir o número mínimo de votantes. O PSD indicou o líder do PPS Rubens Bueno (PR) para uma vaga em aberto e o deputado Mandetta (DEM-MS) – ausente da Câmara hoje – renunciou ao seu lugar no colegiado para que o pessebista Pastor Eurico (PE) pudesse ocupá-lo.

Dessa forma, o pedido de cassação de Vargas foi aprovado pela unanimidade dos presentes, com 11 votos a favor. O advogado Michel Saliba, que representa o ex-petista, afirmou que as nomeações de última hora configuraram vícios no processo e anunciou que recorrerá à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). “A composição do Conselho era uma (no início da reunião) e a votação se dará com outros deputados, o que nos surpreende”, disse na reunião.

Ligações perigosas

A ligação de Vargas com Youssef veio a público quando foi revelado, no início do ano, que ele pegou carona em um jatinho do doleiro. Ele é apontado, ainda, nas investigações como o responsável por indicar um ex-assessor do Ministério da Saúde para trabalhar no Labogen, laboratório que, de acordo com a PF, centralizava o esquema de lavagem de dinheiro comandado por Youssef. O laboratório havia fechado uma parceria com a pasta para o fornecimento de remédios, operação desfeita após a investigação da PF. Vargas nega ter intermediado essa indicação

Em seu parecer, apresentado no início de agosto, Júlio Delgado argumentou que Vargas se insere no contexto de uma “imensa rede criminosa especializada na lavagem de dinheiro e na evasão de divisas”. “O deputado representava, perante a administração pública federal, os interesses das empresas controladas por Alberto Youssef e seus testas-de-ferro”, disse. Ao final de seu relatório, o socialista, cujo partido disputa a presidência da República, também criticou o PT e fez uma comparação com o escândalo do mensalão. “Vêm à tona novos fatos que dão conta de que a Hydra de Lerna chamada corrupção está viva e espalhou cabeças pelos mais diversos órgãos da administração pública federal”, concluiu, em referência ao animal da mitologia grega.

Argôlo

Na sessão desta tarde, o Conselho de Ética ouviu ainda uma testemunha do processo por quebra de decoro parlamentar contra o deputado Luiz Argôlo (SD-BA), que também é investigado no colegiado por suas relações com o doleiro. Questionado sobre a movimentação financeira de Argôlo, o gerente da agência da Caixa Econômica Federal na Câmara, Douglas Bento, disse que não poderia prestar as informações aos parlamentares por conta do sigilo bancário.

PIANO

 

UFRN começa hoje segunda Jornada de Alfabetização

Posted on ago 20, 2014 in Educação

UFRN - foto Alex Régis

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebe cientistas, professores, pedagogos e estudiosos de todo o Brasil para a 2ª Jornada de Alfabetização, que corre paralelamente a outros dois eventos promovidos pelo Instituto do Cérebro, de hoje até o dia 22. “A nossa função é colocar nossos conhecimentos ao alcance de todos, porque a Universidade tem duas funções, uma delas é fazer pesquisa avançada e aprimorar o conhecimento e ao mesmo tempo que trabalha com isso, precisa fazer o outro lado, popularizar isso”, diz a professora Ângela Chuvas Naschold.
Responsável por um trabalho de pesquisa iniciado com as crianças das Aldeias S.O.S, em Caicó, a professora Ângela Naschold diz o estudo do cérebro relacionado à alfabetização e leituras é muito importante para o aprendizado das crianças. “Embora muitas pessoas não tenham consciência do que isso tenha a ver, do que neurociencia cognitiva com educação, tem tudo a ver, porque quando a gente sabe como nosso cerebro funciona, como a leitura acontece e como chega a letra no nosso cerebro, como essa letra é transposta em sons, se o professor sabe isso, ele pode ensinar com mais propriedade”, diz ela.

Para ela, as pessoas precisam parar de pensar que os professores não precisam saber dessas coisas, inclusive fonoaudiologos, psicólogos. “A gente tem de perder esse preconceito no Brasil, de achar que alfabetização é uma coisa sem importância para outras áreas e que é só do professor, isso ai interessa todo mundo”, acrescentou.

A professora Ângela Naschold disse que depois de desenvolver um trabalho, inicial, em Caicó, fez-se outro trabalho na Escola Municipal Juvenal Lamartine, que tinha um dos mais baixos Idebs de Natal (2,5 em até 2005). “Desenvolvemos a metodologia de acordo com a realidade de suas crianças, usando os conhecimentos que são da Ciência do mundo todo sobre leitura e a escrita”, continuou.

Agora, segundo ela, a Jornada de Alfabetização: Alfabetizando com Ciência e Arte, é o desencadeamento de um curso de pos-graduação para os professores de Ipanguaçu, da área de educação infantil e séries de quarto e quinto ano, em que se vai trabalhar com essa metodologia, que começou nas Aldeias Infantis de Caico.

“A gente trabalha com montagem, remontagem, desde o texto grande, inteiro , até a unidade menor, que é a letra. Vai se apropriando dessas combinações que a criança precisa entender”, relatou a professora, a respeito do uso de textos, histórias de forma verbal e com objetos, áudios, músicas, pesquisas e até internet.

Programação
Confira temas da 2ª Jornada de Alfabetização

Palestras e mesas

20/8
9 horas – abertura
10:30 – “Aspectos cognitivos e bases cerebrais da leitura”, Felipe Pegado (Brasil/França/Bélgica).
14h – “Conexões fisiológicas da educação”, Sidarta Ribeiro (Ice).
16h – “Alfabetização, ciência e arte na prática da educação integral de crianças”, Ângela Naschold e Antonio Pereira (UFRN).

21/8
8:30 – “Ciência e Arte: sagração do alfabeto”, Leonar Cabral (UFSC).
10:30 – “O jogo da polissemia na alfabetização”, Ronei Guares (UESB), Celso Cisto (PUC/RS) e Clarice Wolff (UFRS).
14:10  – “O lugar da literatura infantil na alfabetização”, Alessandra Cardozo (UFRN) e Vera Pereira (PUC/RS).
16h – “Ciência, arte e alfabetização: relatos de experiência”, Ana Paula Rigatti (UFRS), Thaís Vargas, Jonas Saraiva e Claudia Belmonte (PUC/RS).

22/8
15:30 – Encerramento

nobrega

Servidores do Poder Judiciário do RN marcam início da greve para amanhã

Posted on ago 20, 2014 in Acontecimentos

TRE - foto Alberfto Leandro

Os servidores do Poder Judiciário Federal no Rio Grande do Norte deflagram greve amanhã, a partir das 9h, com concentração em frente ao prédio do Tribunal Regional Eleitoral, na Praça André de Albuquerque, no centro da cidade. Ao todo, cerca de 2 mil servidores vinculados ao Tribunal de Regional Eleitoral (TRE/RN), Tribunal Regional Trabalho (TRT/RN) e Justiça Federal (JFRN) deverão aderir ao movimento nacional por reajuste salarial, contratação de pessoal e melhores condições de trabalho. A greve acontece em pleno ano eleitoral, sendo a  primeira  vez que os servidores do TRE cruzam os braços neste período.

A decisão pela paralisação por tempo indeterminado foi tomada durante a Assembleia Geral  realizada  na  última sexta-feira, dia 15.  A categoria está há seis anos sem aumento e a mobilização é em defesa de um reajuste emergencial, as perdas salarias se encontram na casa dos 50%, explica o coordenador Geral do Sindicato dos trabalhadores do poder judiciário federal do Estado (Sintrajurn), Leandro Augusto Gonçalves.
Em 2012, o governo federal chegou a aprovar um reajuste de 15% para implantação em três parcelas, divididas até 2015. “Este valor não repõe as perdas salarias, sequer a correção da inflação. É preciso sensibilizar o governo federal e o Congresso para repor a inflação e as perdas”, disse o servidor do TRE/RN, Leandro Gonçalves.

O quadro de pessoal nas Cortes potiguares, avalia Gonçalves, é insuficiente frente ao aumento da demanda judicial, com crescimento de número de processos, abertura de novas varas judiciais. “O TRT e a Justiça federal tem projetos para criação de cargos que estão parados no Congresso. O TRE sequer teve o projeto”, disse. Durante o mês de julho, os servidores promoveram duas paralisações de advertência.

O movimento nacional tem como objetivo pressionar o Supremo Tribunal Federal a negociar com o Governo e garantir o orçamento em sua integralidade, para que o reajuste da categoria seja reencaminhado ao Congresso, e que o Executivo inclua orçamento, tudo a tempo, para a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).  O prazo para isso se encerra no dia 31 de agosto.

O Congresso alega que o Executivo nacional não teria como aprovar a criação de vaga por falta de orçamento. No país, servidores do Judiciários em outros três estados São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, além do Distrito Federal, já estão em greve. Entram em greve na próxima semana, igualmente com o Rio Grande do Norte, os Estados de Mato Grosso, Bahia e Rio de Janeiro.

Durante a greve no Rio Grande do Norte serão realizados piquetes e concentrações em cada um dos Tribunais em greve obedecendo a seguinte programação:

Dia 21 – TRE
Dia 22 – TRT
Dias 25 e 26 – TRE
Dia 27 – TRT
Dia 28 – TRE
Dia 29 – TRT

MIDIA KALANGO AGOSTO

Medo em Série

Posted on ago 20, 2014 in Cultura

* Por Fabricio Rebelo

Goiânia, capital do estado de Goiás, se tornou destaque na mídia brasileira e internacional. A ocorrência de assassinatos em série na cidade, vitimando mulheres, vem repercutindo constantemente nos principais jornais do país, chegando às páginas do The New York Times, nos Estados Unidos, e ao portal holandês HLN.be. 

Desde o início dos ataques, foram vitimadas fatalmente 15 mulheres, com ao menos mais duas investidas frustradas. São números relevantes, que recrudescem a já preocupante tendência de alta de homicídios na cidade, cujas taxas aumentaram mais de 45% em uma década, como apontou a edição 2014 do Mapa da Violência. 

Diferentemente dos crimes ditos comuns, que têm a motivação patrimonial como elemento característico, os ataques intencionalmente letais, dissociados de outros objetivos, são um fator significativamente potencializador do medo na sociedade. Afinal, ao contrário daqueles em que o criminoso é movido pelo desejo de subtrair algo de valor de suas vítimas, ou mesmo daqueles em que busca saciar um impulso sexual, nos assassinatos em série o que se objetiva é puramente a morte. E, se a  morte é o objetivo do criminoso, não há receita para diminuir os riscos de ser vitimado, a não ser se esconder. Contra alguém movido por uma psicopatia homicida, a proteção se resume a não se expor a nada, nem a ninguém.

Os crimes de Goiânia bem demonstram a sensação de impotência da sociedade, pois foram registrados sob as mais diversas situações. A qualquer hora, sem áreas de risco pré-definidas, um indivíduo numa motocicleta se aproxima e atira – ao que se apurou, sem nem mesmo estabelecer um contato com sua vítima. Para quem precisa andar pelas ruas, como se defender?

Contar com a polícia para esclarecer a autoria dos ataques e prender o criminoso é, claramente, insuficiente. Depois do primeiro assassinato, mais 14 mulheres perderam a vida até que surgissem os iniciais indícios de um suspeito. Para elas e suas famílias, nada do que acontecer depois tem a possibilidade de recompor suas perdas ou amenizar a dor.

É difícil dizer o que move a sanha assassina de um criminoso em série, quase sempre permeada por um grave distúrbio psíquico. Porém, é simples identificar um elemento que facilita sua ação: a fragilização da sociedade, de quem se retirou os meios de autodefesa. Ações destemidas e reiteradas, como as do assassino serial de Goiânia, só são possíveis porque não há, para ele, o risco de ser confrontado por suas vítimas ou, principalmente, por alguém que testemunhe o ataque.

Sempre que acontece um assassinato em massa nos Estados Unidos, nos acostumamos a ver surgir por aqui requentadas discussões sobre um maior controle de armas, ainda que, invariavelmente, isso não possa ter o mais ínfimo efeito para conter as ações. Com ataques de assassinos em série, impõe-se a discussão em outro sentido, desta vez com uma propriedade muito maior, relativa à permissão de que potenciais vítimas possam se defender ou ser defendidas por quem testemunha uma agressão.

Não se trata, como muitos insistem em resumir, de estimular que se reaja indistintamente, tampouco de distribuir armas sem critério a uma população. A abordagem precisa ser técnica, relativa ao efeito inibidor que a mera possibilidade de haver vítima ou testemunhas armadas representa para o agressor, algo muito comum aos que se aprofundam no estudo da segurança pública, nele conhecido como Halo Effect - ou efeito auréola, em livre tradução. Trata-se, apenas, de se reconhecer a substancial importância de não dar a criminosos a certeza da ausência de reação, seja por suas vítimas, seja por qualquer outro cidadão que presencie a ação.

Nos Estados Unidos, país com duzentas vezes mais armas legalizadas do que o Brasil e uma taxa de homicídios sete vezes inferior à nossa (4,2/100mil X 29/100mil), assassinos em série e maníacos sexuais são mote frequente em campanhas publicitárias para estímulo à autodefesa, especialmente de mulheres, suas vítimas preferidas. Há até modelos de armas especiais para o público feminino, com empunhaduras mais delicadas e até cores diferenciadas, como o rosa. Por aqui, notícias sobre a ação de um criminoso serial só escancaram o quão indefesos estamos, fazendo-nos buscar ainda mais refúgio e, paulatinamente, abrir mão de atitudes simples do cotidiano social.

Não é para menos. Para quem não vê o Estado capaz de conter a escalada de homicídios em que estamos atolados e não tem como se proteger, um exemplo como o do assassino de Goiânia difunde não apenas mortes, mas também um enorme medo em série.

* Fabricio Rebelo é bacharel em direito, pesquisador em segurança pública e diretor executivo da ONG Movimento Viva Brasil.

JORNAL

José Dias afirma que Estado vive situação de insegurança total

Posted on ago 19, 2014 in Política

josé dias - foto João Gilberto

 

O tema segurança pública foi retomado nesta tarde (19) pelo deputado José Dias (PSD) que em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa afirmou que o povo do Estado está vivendo um dos mais difíceis momentos, que é o da insegurança total.

“É uma situação que atinge a todos. Não há discriminação. Se há uma coisa que o atual governo conseguiu fazer no Rio Grande do Norte foi a equiparação da insegurança para toda a população. Hoje, esse é, indiscutivelmente o maior problema que o Estado vive, pois tem implicações com a vida humana. Estamos expostos a uma insegurança completa”, asseverou.

José Dias disse que existem fórmulas e procedimentos que não são caros, que combate e reduzem esses índices de violência. Segundo o parlamentar, o que está faltando na realidade é um respeito mínimo do governo com a população.

Segundo o deputado, “esse quadro traz desânimo, descrédito e desmoralização da classe política. Não somos uma ilha. Somos um pedaço de chão mais deteriorado, mas não somos isolados. A organização do Estado moderno é um indutor, é um controlador. É quem emite as normas de convivência social, que dá parâmetros da estrutura econômica do País. É através dele que temos que trabalhar para assegurar a nossa sobrevivência”, afirmou.

Starconect

Mais de 90% dos brasileiros estão insatisfeitos com saúde pública e privada

Posted on ago 19, 2014 in Acontecimentos

Os serviços públicos e privados de saúde no Brasil são considerados regulares, ruins ou péssimos por 93% da população. É o que indica pesquisa do Instituto Datafolha feita a pedido do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Paulista de Medicina (APM). O levantamento mostra que os principais problemas enfrentados pelo setor incluem filas de espera, acesso aos serviços públicos e gestão de recursos. De acordo com o estudo, a saúde é apontada como a área de maior importância para 87% dos brasileiros. Para 57%, o tema que deve ser tratado como prioridade pelo governo federal.

A pesquisa foi feita entre os dias 3 e 10 de junho de 2014 e ouviu 2.418 homens e mulheres com idade mínima de 16 anos em todos os estados brasileiros. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Os dados revelam que, em relação ao Sistema Único de Saúde (SUS), os pontos mais críticos são os relacionados ao acesso e ao tempo de espera. Mais da metade dos entrevistados que buscaram atendimento na rede pública relataram ser difícil ou muito difícil conseguir o serviço pretendido – sobretudo cirurgias, atendimento domiciliar e procedimentos específicos como hemodiálise e quimioterapia.

Em relação à qualidade dos serviços, 70% dos que buscaram o SUS disseram estar insatisfeitos e atribuíram avaliações que variam de regular a péssimo. A percepção mais negativa está relacionada ao atendimento nas urgências, emergências e em pronto-socorros.

Entre os entrevistados, pelo menos 30% declararam estar aguardando ou ter alguém na família aguardando a marcação ou a realização de algum procedimento na rede pública. Mesmo entre os que possuem plano de saúde, 22% aguardam algum tipo de atendimento no SUS.

Os dados mostram que duas em cada dez pessoas ouvidas conseguiram ser atendidas no prazo de um mês, enquanto 29% aguarda há mais de seis meses para ter a demanda atendida. O grupo que passa mais tempo aguardando atendimento do SUS são as mulheres com idade entre 25 e 55 anos, que concluíram o ensino fundamental e residem na Região Sudeste.

O presidente do CFM, Roberto Luiz d’Avila, avaliou que o resultado apontado pela pesquisa é de insatisfação com a saúde como um todo. “As respostas estão aí para serem analisadas”, disse. “Não somos nós, médicos, que continuamos a dizer que a insatisfação é muito grande. No nosso meio, temos certeza absoluta de que esse atendimento é insatisfatório. E eu diria mais: é prejudicial”, completou.

Já o vice-presidente do conselho, Carlos Vital, classificou as dificuldades enfrentadas pelo setor como crônicos. “Vivemos uma fase de agonização desse problema nos últimos 12 anos”, disse. “Orçamento e administração são os principais problemas. Não podemos continuar nessa espera. Vidas humanas se perdem nesse processo”, concluiu.

O Ministério da Saúde informou que os recursos destinados à rede pública mais que triplicaram nos últimos 11 anos, passando de R$ 27,2 bilhões em 2003 para R$ 91,6 bilhões em 2014. Esses recursos, segundo a pasta, garantiram resultados como a cobertura de cerca de 60% da população pelas equipes de Saúde da Família, com ampliação do acesso a 50 milhões de brasileiros, atendidos pelos 14,4 mil médicos do Programa Mais Médicos; 75% da população com acesso ao SAMU; mais de 90% da cobertura vacinal, incorporando todas as vacinas preconizadas pela Organização Mundial da Saúde; manutenção do maior sistema de transplante público do mundo, com 95% do total de transplantes realizados no SUS; e ampliação, desde 2011, de mais de 16 mil leitos do SUS em unidades mais próximas da casa do cidadão.

“Importante esclarecer que a gestão e o financiamento do SUS são compartilhados entre União, estados e municípios”, finalizou o ministério.

Agência Brasil

Radio Nova Era 2014

Baixa vazão do rio Piranhas prejudica abastecimento no Seridó

Posted on ago 19, 2014 in Regional

rio_piranhas_rn - foto robson pires

Uma redução na vazão do rio Piranhas vem provocando desde sábado (16) problemas no abastecimento das cidades de Caicó, São Fernando e Timbaúba dos Batistas, que recebem água do sistema adutor Manoel Torres. Por isso, a gerência da Regional Caicó, ao mesmo tempo em que faz gestões para amenizar as consequências da escassez, apela às populações que ainda dispõem de água para que evitem o desperdício.

A cidade de São Fernando está com o sistema totalmente parado. Em Caicó, que é abastecida por dois sistemas, a população está contando apenas com o fornecimento pelo sistema do Açude Itans. Em Timbaúba dos Batistas, a Caern está providenciando a retomada pelo sistema antigo, a partir do Açude Vila Nova, solução que deve se efetivar ainda hoje.

A Caern informa ainda que já foi solicitado à Agência Nacional de Águas, responsável pela operação do sistema Curemas-Mãe D’Água, na Paraíba, o aumento da vazão de 2,95 m3 para 3,98 m3. Atendida a solicitação, o prazo para que a água chegue ao sistema é de oito a dez dias.

PIANO

Policlínica disponibiliza vacina contra a Hepatite A para crianças de até 2 anos

Posted on ago 19, 2014 in Cidade

hepatite a

A Prefeitura Municipal de Currais Novos por meio da Secretaria de Saúde está disponibilizando para as crianças de até 02 anos incompletos a vacina contra a Hepatite A. No município, a vacinação está acontecendo na Policlínica “Monsenhor Ausônio Araújo” e a meta é que mais de 90% do público alvo seja atingido.

Em todo o país o Ministério da Saúde espera imunizar três milhões de crianças. A vacina contra a hepatite A deve ser incorporada aos programas nacionais de imunização, na medida em que as condições de saneamento básico de um país começam a melhorar e o contato das pessoas com o vírus passa a ocorrer mais tarde, na fase adulta, propiciando o surgimento de mais casos da forma grave da doença. O Ministério da Saúde investiu R$ 111 milhões na compra de 5,6 milhões de doses neste ano.

SOBRE A DOENÇA - A hepatite A é habitualmente benigna e raramente apresenta uma forma grave (aguda e fulminante) que pode levar à hospitalização ou morte em 2% a 7% dos casos graves. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), todos os anos ocorrem cerca de 1,4 milhão de casos da doença no mundo. No Brasil, estima-se que ocorram por ano 130 novos casos a cada 100 mil habitantes.

A principal forma de contágio da doença é a fecal-oral, por contato entre as pessoas infectadas ou por meio de água e alimentos contaminados. A estabilidade do vírus no meio ambiente e a grande quantidade de vírus presente nas fezes dos indivíduos infectados contribuem para a transmissão. A disseminação está relacionada com infraestrutura de saneamento básico e a aspectos ligados às condições de higiene.

nobrega

 

Servidores do Judiciário Federal no RN entram em greve nesta quinta

Posted on ago 18, 2014 in Acontecimentos

servidores do judiciário - foto Leane Fonseca

Os servidores do Poder Judiciário Federal no Rio Grande do Norte decidiram, por unanimidade, entrar em greve por tempo indeterminado a partir da próxima quinta-feira, dia 21 de agosto. A deliberação foi tomada durante a Assembleia Geral Extraordinária realizada na manhã da última sexta-feira (15), quando ocorreu o Apagão Geral em frente ao prédio do Tribunal Regional do Trabalho, no bairro de Lagoa Nova.

A movimentação teve um número recorde de servidores e decisão inédita de uma paralisação dos servidores do TRE em pleno ano eleitoral. Com a greve ficam vão funcionar apenas 30% dos serviços no TRE, TRT e Justiça Federal.

No país quatro estados já estão em greve: São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina além do Distrito Federal. Entram em greve na próxima semana, igualmente com o Rio Grande do Norte, os Estados de Mato Grosso, Bahia e Rio de Janeiro. Os demais realizam piquetes e apagões de 24 horas.

O movimento nacional tem como objetivo pressionar o Supremo Tribunal Federal a negociar com o Governo e garantir o orçamento em sua integralidade, para que o reajuste da categoria seja reencaminhado ao Congresso, e que o Executivo inclua orçamento, tudo a tempo, para a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).  O prazo para isso se encerra no dia 30 de agosto. A categoria está há seis anos sem aumento e a mobilização é em defesa de um reajuste emergencial, as perdas salarias se encontram na casa dos 50%.

De acordo com o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal no Rio Grande do Norte (Sintrajurn), Leandro Gonçalves, cruzar os braços em um ano de eleição é a única maneira que os servidores possuem para forçar o Executivo a negociar. “Somente a greve para abrir um canal de negociação”, disse ele ressaltando a importância de se juntar aos demais sindicatos do País. “Cada Estado que entra reforça o movimento e anima os outros para entrar também e garantir que não haja corte no orçamento”.

A greve por tempo indeterminado foi aprovada por unanimidade a partir do dia 21 de agosto, além da realização de uma Assembleia Geral no primeiro dia de paralisação como também atos públicos nos dias 21, 25 e 26 deste mês, todos em frente a sede do Tribunal Regional Eleitoral.

MIDIA KALANGO AGOSTO

Crianças são vacinadas contra hepatite A no Rio Grande do Norte

Posted on ago 18, 2014 in Acontecimentos

vacina - voto divulgação

O Rio Grande do Norte passa a ofertar a partir deste mês de agosto a vacina contra a hepatite A destinada às crianças na faixa etária de 12 meses a dois anos incompletos. A vacina já está disponível nos postos do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o país. A meta para este ano é imunizar 95% do público-alvo – cerca de três milhões de crianças. No estado do Rio Grande do Norte, cerca de 47 mil crianças devem ser vacinadas, nos primeiros doze meses de imunização.

A oferta da nova vacina é uma das ações do Ministério da Saúde que marcou o Dia Mundial de Luta contra Hepatites Virais, celebrado em 28 de julho. O esquema vacinal preconizado pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde, prevê uma dose única da vacina. Entretanto, será feito monitoramento da situação epidemiológica da doença para definir sobre a necessidade de inclusão de uma segunda dose no calendário da criança.

O Ministério da Saúde investiu R$ 111,1 milhões na compra de 5,6 milhões de doses da vacina. Para 2014, os estados e municípios receberão 2,7 milhões de doses da vacina. O restante será usado em 2015. Rio Grande do Norte recebeu até o momento 34.600 doses da vacina.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, considera que a introdução da vacina contra a hepatite A é um grande avanço para a melhoria da saúde da população. “Já houve uma redução significativa da circulação viral da hepatite A no país com a melhoria das condições sanitárias. Com a vacinação das crianças, grupo mais vulnerável e exposto à doença, podemos diminuir ainda mais a circulação deste vírus”, ressaltou o ministro.

Para o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, a vacina contra hepatite A passa a ser uma importante ferramenta de prevenção da doença. “A vacina, tomada na infância, gera proteção para a vida inteira e evita casos graves e óbitos, causados pela doença”, explicou o secretário.

As doses para o início da vacinação já foram enviadas para todas as secretarias estaduais de saúde, assim como os materiais instrucionais para a correta aplicação na população-alvo. A vacina contra a hepatite A é segura e, praticamente, isenta de reações adversas. Como em qualquer outra vacina, podem ocorrer alguns efeitos, como inchaço no local da aplicação e vermelhidão, ou outras reações generalizadas, como fraqueza, cansaço, febre e dores no corpo.

Doença

A hepatite A é habitualmente benigna e raramente apresenta uma forma grave (aguda e fulminante). De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), todos os anos ocorrem cerca de 1,4 milhão de casos de hepatite A no mundo, sendo identificados casos esporádicos e epidemias. No Brasil, estima-se que ocorram por ano 130 novos casos a cada 100 mil habitantes.

A principal forma de contágio da doença é a fecal-oral, por contato entre as pessoas infectadas ou por meio de água e alimentos contaminados. A estabilidade do vírus no meio ambiente e a grande quantidade de vírus presente nas fezes dos indivíduos infectados contribuem para a transmissão. A disseminação está relacionada com infraestrutura de saneamento básico e a aspectos ligados às condições de higiene praticadas.

(Agência Saúde)

JORNAL

Com morte de Campos, PSB destaca importância de Renata na campanha

Posted on ago 18, 2014 in Política

Renata - foto Fernando Frazão

Ao falar publicamente pela primeira vez desde a morte do marido Eduardo Campos, a viúva Renata Campos disse hoje (18), no Recife, que a partir de agora dará prosseguimento aos sonhos e projetos do ex-governador pernambucano. “Participei a vida inteira de campanha, não será diferente com essa. Com uma diferença: tenho que participar por dois”, disse Renata, apontada como possível candidata à vice na chapa do PSB na disputa à presidência. “Depois de todos esses anos sabendo que muitas coisas precisam ser feitas ainda, precisamos garantir essa vitória para esse sonho ir adiante”, acrescentou Renata, acompanhada de três, dos cinco filhos.

O presidente da sigla, Roberto Amaral, disse que com a morte de Eduardo Campos, Renata passou a ser “a grande liderança do PSB”. “Depois de Arraes e de Eduardo, nosso partido tem uma nova liderança. Essa liderança magnífica que é a alma do nosso partido, das nossas entranhas, que representa o povo brasileiro. A grande liderança do partido é Renata Campos”, discursou. “Quem olhar para Renata, verá Eduardo comandando a campanha”, acrescentou o presidente do partido. “A maior prova de amor por Eduardo, será fazer o que ele desejava, que era eleger o novo presidente do Brasil e o novo governador de Pernambuco”.

 

Aparentando timidez, Renata optou por ler um discurso previamente pronto. Agradeceu o apoio e as manifestações de carinho dos pernambucanos e ordenou aos correligionários que mantenham “tudo como Eduardo deixou”. O encontro aconteceu no fim da manhã desta segunda-feira (18), em Recife, e foi convocado pela própria Renata.

Em evento de campanha para o governo de Pernambuco, várias lideranças do PSB usaram a morte de Eduardo Campos como mote eleitoral do partido. “Nosso líder, nosso guerreiro não morreu. Ele está vivo nos nossos corações”, discursou Fernando Bezerra Coelho, candidato ao senado pelo PSB. “A partir de agora, quem não está com Paulo Câmara não está com Eduardo Campos”, acrescentou o próprio Paulo Câmara, candidato do PSB ao governo do estado.

No último final de semana, o presidente do PSB antecipou que o primeiro programa eleitoral do partido na televisão e no rádio, que começa a ser veiculado amanhã, será “plástico” em homenagem à memória do ex-presidensiável, que morreu no último dia 13, em um acidente aéreo na cidade de Santos, em São Paulo.

Agência Brasil

Starconect

Datafolha: Dilma tem 36%, Marina 21% e Aécio 20%

Posted on ago 18, 2014 in Política

candidatos foto aequivo TN

A primeira pesquisa para intenção de votos para a Presidência da República com a substituição do nome de Eduardo Campos pelo da ex-ministra Marina Silva foi divulgada hoje (18), pela Folha de São Paulo. Os números apontam que Dilma Rousseff (PT) permanece na liderança, com 36% das intenções de voto, enquanto Marina Silva (PSB) aparece com 21% e Aécio Neves (PSDB) com 20%.
O nome de Marina Silva ainda não foi confirmado como substituta de Eduardo Campos, que faleceu na quarta-feira passada em desastre aéreo em Santos. No levantamento anterior realizado pelo Datafolha, em 17 de julho, Dilma e Aécio apresentaram os mesmos números, enquanto Eduardo Campos tinha 8%. A mudança representatva na eleição foi o número de indecisos e de pessoas que disse que anulariam o voto. Os que disseram não saber em quem votar era 14% dos entrevistados, mas agora são 9%. Já os que queriam votar em branco ou nulo eram 13%, contra 8% nesta nova pesquisa.

Em simulação de segundo turno, Marina Silva superaria Dilma Rousseff por 47% a 43%, o que representaria um empate técnico levando em consideração a margem de erro da pesquisa, que é de 2%. Já na possibilidade de segundo turno entre Dilma e Aécio, a petista levaria vantagem de 47% a 39%. Não foi pesquisada a possibilidade de segundo turno entre Marina e Aécio.

O levantamento, encomendado pela Folha de Sã Paulo, ouviu 2.843 eleitores em 176 municípios nos dias 14 e 15 de agosto. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00386/2014.

Veja os números:

Dilma Rousseff (PT): 36%
Marina Silva (PSB): 21%
Aécio Neves (PSDB): 20%
Pastor Everaldo (PSC): 3%
José Maria (PSTU): 1%
Eduardo Jorge (PV): 1%
Luciana Genro (PSOL): 0%
Rui Costa Pimenta (PCO): 0%
Eymael (PSDC): 0%
Levy Fidelix (PRTB): 0%
Mauro Iasi (PCB): 0%
Brancos/nulos/nenhum: 8%
Não sabe: 9%

Radio Nova Era 2014

Copa do Brasil: ABC enfrentará Vasco e América pega Atlético/PR

Posted on ago 18, 2014 in Esporte

américa e ABC - foto arquivo TN

 

A CBF realizou no fim da manhã de hoje (18) o sorteio dos confrontos da fase de oitavas de final da Copa do Brasil. O ABC enfrentará o Vasco da Gama, enquanto o América medirá forças com o Atlético Paranaense.
Nesta fase, as equipes que participaram da Copa Libertadores (Cruzeiro, Grêmio, Atlético Mineiro, Atlético Paranaense, Flamengo e Botafogo) entram na competição e ficaram no mesmo pote do sorteio, junto a Vasco e Corinthians, definidos devido ao ranking da CBF. Do outro lado, os demais classificados, entre eles ABC e América, estavam aguardando os confrontos.

Pelo sorteio, ABC e América só poderão se enfrentar em uma possível final. Caso passe, ABC enfrenta o vencedor de Cruzeiro e Santa Rita, enquanto o América, passando, pega o vencedor de Flamengo x Coritiba.

Os mandos de campo foram definidos posteriormente. Enquanto o ABC joga a primeira fora de casa, o América faz a primeira partida na Arena das Dunas.

Confira os confrontos:

Lado 1

Grêmio x Santos
Botafogo x Ceará
Cruzeiro x Santa Rita (AL)
Vasco x ABC

Lado 2

Flamengo x Coritiba
Atlético Paranaense x América
Palmeiras x Atlético Mineiro
Bragantino x Corinthians

PIANO

Hospital Dix-Sept Rosado em Mossoró fecha as portas

Posted on ago 18, 2014 in Acontecimentos

Casa_de_Saude_Dix__sept_Rosado  - imagem rnpoliticaemdia2012.blogspot.com

O fechamento da Casa de Saúde Dix-Sept Rosado (CSDR) faz Mossoró perder mais da metade da sua capacidade para atender partos. De acordo com o diretor do Hospital da Mulher, o médico Inavan Silveira, Mossoró realiza 600 partos por mês e o Hospital da Mulher só tem suporte para atender 250.

Com isso, foram registradas gestantes esperando em cadeiras nos corredores do Hospital da Mulher, desde o fechamento das atividades do CSDR, na semana passada. A medida paliativa tomada pela Prefeitura de Mossoró é a de utilizar os leitos do Hospital da Polícia para atender as pacientes do pós-parto. Neste final de semana, houve 12 atendimentos.

“Já foram 12 lugares que ficaram disponíveis no Hospital da Mulher”, disse o diretor do Hospital da Mulher, ressaltando, porém, que a capacidade do Hospital da Polícia é insuficiente. Além de não ter estrutura para partos, o Hospital da Polícia conta com apenas 20 leitos, enquanto a Casa de Saúde tem 70 leitos.

O prefeito de Mossoró, Silveira Júnior, fez questão de afirmar, em entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira (18), que o fechamento da Casa de Saúde é culpa exclusiva da gestão do CSDR. Segundo ele, a Prefeitura está em dias com o repasse mensal do Sistema Único de Saúde para o hospital, que é de R$600 mil, além de um adicional de R$400 mil, para os médicos ginecologistas, anesteologistas e pediatras que trabalharem no local, em parceria entre a gestão da Casa de Saúde e a Prefeitura.

“A culpa é totalmente da gestão da Casa de Saúde. Eles atendem plano de saúde, particular e SUS e encerraram todos os setores. Se uma pessoa quiser fazer um parto particular na Casa de Saúde, eles não estão atendendo. Então não tem como culpar a Prefeitura, é ingestão deles. Mas estamos preocupados para resolver, porque a saúde é prioridade na nossa gestão e não podemos deixar a cidade desabastecida. A utilização do Hospital da Polícia é uma medida paliativa, mas temos que procurar outra solução, definitiva”, declarou o prefeito Silveira Júnior.

O prefeito Silveira Júnior também demonstrou interesse da Prefeitura de Mossoró em assumir a Casa de Saúde. “Sempre falei que na minha gestão queremos ter um hospital municipal. Quem sabe, seja a própria Casa de Saúde. Estamos dispostos a assumi-la”, declarou Silveira.

Superlotação

A secretária municipal de saúde, Leodise Cruz, afirmou ainda que Mossoró tem uma demanda muito grande de partos, porque as cidades de várias regiões do Estado enviam muitos atendimentos para Mossoró, sendo que alguns desses deveriam acontecer nas próprias cidades.

“Estamos dispostos a atender urgências e emergências das cidades vizinhas, mas nos enviam pacientes normais, que deveriam ser feitos no serviço básico de saúde das suas cidades. Muitas vezes os municípios não fazem nem o básico, por isso, superlota em Mossoró”, disse Leodise Cruz, afirmando que Mossoró deveria receber um maior suporte financeiro, dos governos estadual e federal.

Segundo ela, o Governo Estadual tem um débito em torno de R$ 15 milhões com o município e tem justificado falta de verba para quitar esse pagamento, que é referente a um período de 2011 a 2014. Recentemente, foram pagos os meses de janeiro a abril de 2012, mas não foram apresentadas datas para os restantes dos débitos.

Anesteologistas

O prefeito Silveira Júnior também utilizou a coletiva de imprensa para dar a sua versão sobre a Cooperativa dos Anesteologistas de Mossoró (CAM), sobre o atraso no pagamento dos servidores, junto a Prefeitura de Mossoró.

De acordo com o prefeito, o valor que a Prefeitura já repassou neste ano para os Anesteologistas é em torno de R$2,7 milhões. Esse valor representa 76% do valor que a categoria recebeu no ano passado, além de ser superior ao montante de 2012 e 2011. Esse valor é referente aos débitos do ano passado, que giravam em torno de R$700 mil e mais o que foi negociado para este ano.

A secretária de comunicação Mirella Ciarlini afirma que a Prefeitura de Mossoró realizou o pagamento até o mês de maio. Para quitar o mês de junho, é necessário aguardar os trâmites legais. Esse serviço funciona através de uma empresa terceirizada, que envia a nota fiscal e a Prefeitura repassa o valor. A última nota fiscal enviada foi a do mês de junho, que, segundo Mirella, foi repassada há poucos dias e está sendo esperado os trâmites burocráticos normais para ser efetuado o pagamento.

Obstetras

Os obstetras também estiveram em reunião com a Prefeitura de Mossoró, para negociar um débito de R$700 mil. Segundo a secretária Leodise Cruz, foi feita a negociação para o pagamento em sete parcelas e a primeira já foi quitada.

nobrega

Papa Francisco critica hipocrisia dos religiosos que “vivem como ricos”

Posted on ago 18, 2014 in Acontecimentos

Papa Francisco - foto divulgação

A hipocrisia dos homens e mulheres consagrados que professam o voto de pobreza e, contudo, vivem como ricos, danificam a alma dos fiéis e prejudicam a Igreja”, disse hoje (16) o papa Francisco a 4 mil membros das comunidades religiosas sul-coreanas, no centro católico para pessoas com mobilidade reduzida de Kkottongnae, que fica a 100 quilômetros ao sul de Seul.
O papa advertiu para “o perigo que constitui o consumismo em relação à pobreza da vida religiosa”, em um país que alcançou um rápido progresso material nas últimas décadas. Falou também sobre a castidade, expressando “a entrega exclusiva ao amor de Deus”, em uma alusão a setores que defendem o desaparecimento do celibato na Igreja Católica.

“Todos sabemos quanto exigente é [a castidade] e o compromisso pessoal que comporta. As tentações neste domínio requerem humildade e confiança em Deus, vigilância e perseverança”, lembrou Jorge Mario Bergoglio aos religiosos sul-coreanos.

Depois, o papa Francisco se encontrou com 150 representantes laicos da Igreja Católica sul-coreana, tendo-os desafiado a “ir mais além”, a ajudar os pobres e a se esforçarem para que todas as pessoas possam ter a “dignidade de ganhar o pão e manter as suas famílias”.

Em seu seu discurso, ele falou “do matrimônio” nos tempos atuais, qualificando o presente como “uma época de grande crise para a vida familiar”.

Francisco iniciou na quinta-feira (14) uma viagem de cinco dias à Coreia do Sul, a primeira que um papa faz em 25 anos àquele país, que tem 5,4 milhões de católicos, mais de 10% da população total. Hoje, antes do encontro com pessoas com mobilidade reduzida, ele beatificou 124 mártires na praça Gwanghwamun, no centro de Seul, numa cerimônia assistida por centenas de milhares de pessoas.

O papa visitou ainda um cemitério de fetos abortados ao se deslocar ao centro católico de Kkottongnae, no terceiro dia da sua visita à Coreia do Sul. Francisco passou junto ao Jardim Taeahdongsan, onde se pode ver uma estátua da Sagrada Família rodeada de centenas de cruzes brancas de madeira que pertencem àqueles que “não nasceram”, tendo orado em silêncio.

Na Coreia do Sul há uma taxa elevada de abortos e, segundo os dados oficiais publicados em 2005, foram praticadas nesse ano 340.000 interrupções voluntárias de gravidez, tendo nascido apenas 440.000 crianças. A lei sul-coreana do aborto estabelece que, em caso de violação, incesto, perigo para a saúde da mãe ou doenças hereditárias há um prazo máximo de 24 semanas desde a concepção para que seja possível praticar o aborto.

MIDIA KALANGO AGOSTO